José Carlos Almeida Rosa

 NotíciasVisitas: Contador de Visitas 
PRESIDENTE DA FPC EM ENTREVISTA AO JORNAL "RECORD" 13-06-2015
Presidente da FPC em entrevista ao Jornal Record
 
José Luís Jacinto diz que modalidade "envolve a economia"
 
quer valorizar pombo luso nos mercados internacionais
 
José Luís Jacinto nas suas instalações columbófilas

José Luís Jacinto assumiu a presidência da Federação Portuguesa de Columbofilia (FPC) em 2013, para um mandato de quatro anos, com um objetivo bem identificado. "A nossa principal preocupação tem a ver com o financiamento e o reconhecimento social deste desporto", afirma a Record o dirigente.

Recursos e mediatismo são as palavras-chave na ação federativa que este ano apostou na realização de um campeonato nacional de fundo, com partida de Valência (Espanha), naquela que foi a maior largada de pombos na Europa – foram 90 mil no passado dia 23 de maio e prevê-se cerca de 70 mil na segunda solta, no próximo sábado. "Queremos incentivar a promoção do pombo-correio português nos mercados internacionais, principalmente na China, onde estão os grandes compradores, e para isso é necessário dar a conhecer os nossos pombos, criando eventos que chamem a atenção", avança José Jacinto, satisfeito com o eco que a prova teve na imprensa e nos sites estrangeiros da especialidade.

 

Impacto

Até final do ano, a FPC irá apresentar as conclusões de um trabalho que está a ser coordenado com o Instituto Nacional de Estatística, no sentido de apurar-se o impacto económico da columbofilia no PIB português. "Com a conta-satélite teremos melhor noção de qual o valor da nossa modalidade, quer na área do desporto, quer na área da integração social", sustenta o presidente da Federação, dando uma ideia dos valores que orbitam neste desporto. "Cada pombo-correio consome em média 6/7 euros de rações por ano e fica a noção de que só esse é um negócio de 14 milhões de euros/ano. E depois ainda há o transporte, a vacinação, etc... Estaremos de certeza nas centenas de milhões de euros."

Apoios

O orçamento da Federação ronda os 600 mil euros/ano e, mercê da Utilidade Pública Desportiva, esta recebe um apoio de 40 mil euros na forma de contratos-programa para a organização dos Campeonatos da Europa (o próximo será em setembro, em Mira). "Os apoios do Estado têm vindo a diminuir e é por isso que estamos interessados na conta-satélite, porque entendemos que deve haver um retorno do Estado para aqueles que desenvolvem a economia. E nós desenvolvemos a economia nacional", sublinha José Jacinto, esperançado num retorno equivalente ao que "o Estado tira pelo que cobra no IRC, IRS, imposto automóvel, impostos sobre combustíveis, etc.".

Jacinto.jpg

Dr. José Luís Jacinto - Columbófilo e Dirigente

Jacinto.jpg

Dr. José Luís Jacinto na Exposição Nacional Tavira 2011

Jacinto.jpg

 Dr. José Jacinto, Dr. Chitas Martins, Dr. David Madeira, Augusto Maldonado, Dr. José Tereso e Joaquim Vieira

Jantar de Amizade Exposição Nacional Tavira 2011
(Sexta-Feira, 14 de Janeiro 2011, 21H)
Hotel Vila Galé Albacora - Tavira

Jacinto.jpg

Premiados do Derby de Mira 2011 

record.jpg 

Presidente da FPC em entrevista ao Jornal Record no dia 13 de Junho de 2015

record.jpg

A maior maratona europeia de pombos de competição

record.jpg

Jornal Record divulga os resultados provisórios da primeira prova nacional de fundo que decorreu no passado dia 23 de Maio de 2015