José Carlos Almeida Rosa

 ReportagensVisitas: Contador de Visitas 
MÁRIO TAVARES - CAMPEÃO GERAL 2010 UC VALENCIANA 28-09-2010
  • MÁRIO TAVARES - VALENÇA
  • Campeão Geral 2010 UC Valenciana 


Mário Tavares e Amândio Tavares junto ao seu pombal de voo

Mário Tavares encestou para o último concurso da Campanha 2010 (Velocidade) em segundo do Geral, a apenas um ponto do primeiro (José Gonçalves - Campeão 2009).

O caricato é que estava a 4 pontos do líder de Velocidade, o Vítor Mota, ou seja para se sagrar Campeão Geral tinha que o bater… “não tinha interesse em ser Campeão de Velocidade porque o Vítor merecia o título. O que é certo é que, nessa semana, não mudei uma palha na condução dos pombos. Tive a sorte de fazer 2º, 3º, 4º e 5º e o Vítor fez 6º, 7º e 8º. Fui Campeão de Velocidade por 2 pontos e assim ganhei o Geral”.

 José Gonçalves, que liderava o Geral, não podia fazer nada, dependia do Mário Tavares e do Vítor Mota para se sagrar Campeão, um facto que considera… “Injusto. Na realidade e efectivamente, fui para o último encestamento a um ponto do líder, mas pelo antigo cálculo das classificações a 84 pontos à frente no Geral, de referir que ganhei por 2 pontos a Velocidade para ser campeão, mas finalizei com mais 116 pontos do que o segundo classificado do referido campeonato, digamos que antigamente SÓ tinha que receber dois pombos para ser campeão. “Injusto sim”, mas pelo facto de ter que tirar a Velocidade a um amigo que também a merecia, para fazer justiça…”.

Para além de se ter sagrado Campeão da colectividade, o primeiro título Geral do seu currículo, Mário Tavares conquistou entre os 16 columbófilos da União Columbófila Valenciana...

1º Velocidade

1º Meio-Fundo

5º Fundo

1º Taça Eliminatória

1º Campeonato Pombos de Ano

Campeão Melhor Colónia

1º Pombo Geral (7647217/07)

2º Pombo Geral (7232854/07) 

1º Pombo Meio-Fundo (7647217/07)

5 x 1º prémio e 4 x 2º prémio 

Um dos títulos 2010 que mais valor atribui é o da Melhor Colónia... "sempre dei muito valor a este prémio, afinal de contas é o somatório dos cinco primeiros pombos de cada concurso".

1993, A PRIMEIRA CAMPANHA

Mário Tavares sempre foi um apaixonado por aves. No terreno contíguo a sua casa criava canários, faisões, pavões, rolas, etc... Até que um dia um vizinho ofereceu-lhe um casal de pombos "rafeiros".

O seu pai - Amândio Tavares - aproveitou a oportunidade e disse-lhe... "se queres ter pombos, tem que ser correios e mais te digo, eu arranjo-te alguns e faço-te um pombal, mas com uma condição, acabas com o resto da passarada e com uma vantagem, é que podes soltar os pombos-correio que eles regressam ao pombal".

Mário Tavares achou interessante a ideia de os poder soltar. Por outro lado, desconhecia até então que o seu pai já tinha sido columbófilo e um dos fundadores da União Columbófila Valenciana.

Entrou como sócio da Valenciana em Outubro de 1992 e vários amigos ofereceram-lhe pombos, nomeadamente uma "rodada" do Adriano Lima e o Luís Ribeiro (Eça) que na altura era o presidente da Assembleia Geral da colectividade e deu-lhe dois filhos do "800", o seu melhor reprodutor.

Inicialmente as performances da colónia não eram as melhores, mas Mário Tavares é um columbófilo metódico que gosta de se aproveitar dos pequenos pormenores, aqueles que fazem a diferença... "a columbófilia não é feita de segredos, a competitividade de uma colónia é fruto de um conjunto de factores, como por exemplo o banho semanal, a gota desinfectante das vias respiratórias à 6ª feira, o treino em linha ao sábado, uma muda bem acompanhada, um bom preventivo, uma boa criação, etc... Tudo junto é que conduz um columbófilo ao sucesso continuado".

ORIGENS

No que diz respeito à Velocidade e Meio-Fundo, a sua colónia assenta na linha do famoso casal constituído pelo macho "750" do Asas de Portugal e uma filha da "Velhinha" do Luís Ribeiro (Eça). Os seus primeiros três filhos deram logo excelentes resultados... a "282" sagrou-se Anilha de Prata, a "283" Anilha de Bronze e a "284" Anilha de Ouro.

Ainda hoje são netos e bisnetos que estão a marcar. Para a longa distância, Mário Tavares aposta essencialmente nas linhas Jan Aarden e Wanroy.

O ponto de viragem na sua colónia ocorreu há sete anos atrás quando a maioria dos seus pombos adoeceu e viu-se obrigado a eliminar a maioria deles. Ficou com quatro reprodutores e passou os melhores voadores para a reprodução... "há males que vêm por bem, pois a qualidade melhorou substancialmente".

Tais pombos são a actual base de reprodutores.

O ANO COLUMBÓFILO - Terminada a Campanha

Efectua tratamentos contra as tricomonas, coccidiose, salmonelas e vermes. Acasala os voadores e deixa que cada par crie um borracho. Os pombos são livres de escolher o seu parceiro... "já tentei acasalá-los, mas considero que não vale a pena o trabalho". Como parte dos pombos já estão há mais de um ano no pombal, mantêm o parceiro do acasalamento de Dezembro passado, caso um deles não se tenha perdido nos concursos.

Os borrachos nascidos dos voadores são na sua grande maioria oferecidos a amigos, pois Mário Tavares gosta de voar com pombos filhos dos seus reprodutores, dos quais tira 3 ou 4 de cada casal... "só assim se consegue testar devidamente a sua qualidade".

Na Campanha seguinte acompanha atentamente os resultados obtidos pelos borrachos oferecidos, de forma a ter uma referência para futuros acasalamentos.

SELECÇÃO

Nesta colónia, não se eliminam pombos no final da Campanha... "sinto necessidade, mas não consigo matar pombos. Acabo por enviá-los aos concursos de Fundo mais duros. Sei que não é a melhor opção, mas é o que faço".

Não lhe entra na cabeça eliminar pombos maus marcadores de Velocidade e Meio-Fundo, sem terem sido testados no Fundo. Para além disso, Mário Tavares cultiva linhas que, no primeiro ano, não sobressaem e que no segundo são craques.

GRANDE MUDA

Desacasala na primeira semana de Agosto, separa por sexos e solta diariamente uma secção, ou seja, um dia os machos, um dia as fêmeas e finalmente os borrachos tardios... "não me entra na cabeça fazer a muda fechados".

Mantêm-se assim até inícios de Novembro.

PRÉ-CAMPANHA

Em finais de Novembro, ainda separados, começam a treinar à volta do pombal, voos progressivos, com bandeira. Começam nos 15 minutos para chegar a voos de 60.

Atingido esse patamar são sbmetidos a treinos em linha.

POMBAL

Os voadores são divididos por três secções, fêmeas (adultas e borrachos fêmeas nascidas de Março a Maio = 60), machos (adultos e borrachos machos nascidos de Março a Maio = 40) e secção dos borrachos tardios que não completaram a muda = 25.

LOTAÇÃO

Em 2010, esta colónia sofreu pesadas baixas nos primeiros treinos em linha, pelo que chegou ao primeiro treino oficial com um total de 84 voadores. Este facto veio dar força à convicção de seu pai de que 120 são pombos a mais para as instalações e Mário Tavares lá se vai convencendo... "os columbófilos têm que meter na cabeça de que a lotação do pombal é importante. Tive essa experiência este ano". E vai mais longe... "muitos columbófilos dizem que marcam melhor quando o tempo aquece e na maior parte das vezes o factor decisivo é que nessa altura já perderam alguns voadores e o seu número aproxima-se do ideal para o pombal em causa".

JANEIRO

Acasala os voadores em finais de Janeiro, duas semanas antes de começar os treinos oficiais, dando prioridade aos voadores adultos, uma vez que não tem ninhos para todos. Permite 9/10 dias de choco, findo os quais separa. No segundo dos três treinos da Associação, chegam, os ninhos estão abertos, fecha-os no final do di e entram assim no sistema de viuvez. Encesta ambos os elementos do casal, o que chegar primeiro espera, já dentro do ninho. Ficam à sua vontade durante três horas na Velocidade, quatro no Meio-Fundo e até ao final do dia no Fundo. De realçar que estes períodos podem ser alterados consoante o desgaste provocado pelo concurso.

VOOS

Quem dá os voos e a alimentação é o seu pai (Amândio Tavares), mas segue religiosamente as indicações do filho.

Convém referir que os voadores voam e comem apenas uma vez por dia, da parte da manhã. À tarde usufruem de bebida e... descanso absoluto.

Por outro lado, no início da Campanha, os borrachos tardios já estão integrados na secção dos adultos e voam em conjunto com estes, ajudando a aumentar o ritmo de voo.

À 2ª feira não voam, 60 minutos de 3ª a 6ª feira, sempre com bandeira. Ao sábado, dia de encestamento, não voam.

Quem dá os voos é Amândio Tavares e gosta de colocar a bandeira do SL Benfica ao vento... "deu sorte em 2010 !!!" Força o voo se vê que não se afastam do pombal por birra. Pelo contrário, não força se verifica que não conseguem voar mais por não puderem mesmo, nestes casos o columbófilo tem que tentar descobrir o mais rápido possível a origem do problema... "um erro que alguns columbófilos cometem é quando marcam mal no domingo e como castigo forçam-nos a voar 120 minutos na 2ª feira. Isto é de ignorantes".

Refira-se ainda que Mário Tavares não tapa as janelas durante os voos, ou seja, os machos vêm as fêmeas voar e vice-versa.

ALIMENTAÇÃO

Na Campanha Desportiva, utiliza dois lotes de ração, o sport e o de dieta.

Recorda que só comem uma vez por dia :

2ª feira - Dieta (15/20g)

 3ª feira - Dieta (25g) ;

4ª feira - Dieta (30g), para Velocidade.

50% dieta + 50% sport (30g), para Meio-Fundo

5ª feira - Sport (35g)

6ª feira - Sport (40g)

comem tudo e ainda pedem mais... "é um bocado penoso ver os pombos a olhar para nós, a pedir mais comida, mas temos que fechar a mão", disse-nos Amândio Tavares.

Sábado, dia de encestamento - Sport (15/20g) para Velocidade e 30 g para Meio-Fundo

Domingo, chegada - Dieta

LONGA DISTÂNCIA

Ter os pombos de Velocidade e Meio-Fundo misturados com os de Longa Distância é um problema que a maioria dos columbófilos enfrenta. Mário e Amândio Tavares resolveram-no da seguinte forma... Basicamente atrasam  o tratamento dois dias. Como o pai não conhece os pombos, na 3ª feira, Mário Tavares marca a equipa de Fundo (20) com uma anilha de borracha e na altura das refeições de 4ª e 5ª feira passa os restantes para a voliére e alimenta os fundistas com uma ração enriquecida com óleos.

Após a partida dos fundistas, os que ficam são alimentados com ração depurativa e no sábado de manhã são submetidos a um treino em linha de cerca de 60 minutos... "sei que se fizer isto marco melhor, tenho a certeza de que este treino em linha faz-lhes falta".

Após o regresso e até 4ª ou 5ª feira seguinte, os machos fundistas vão descansar para o pombal dos borrachos e as fêmeas para uma outra secção construída no rés-do-chão.

VALENÇA COLUMBÓFILA

"A UC Valenciana tem um bom nível competitivo, apesar de ir perdendo columbófilos de ano para ano. Éramos 37, agora somos 16. Abertamente lhe digo, não fazia algumas fitas que fiz este ano se fossemos 37, pois saíram daqui bons columbófilos. alguns deles campeões absolutos".

VALENÇA NO DISTRITO

"Geograficamente, Valença do Minho e Monção são as últimas colectividades a receberem pombos. Não há, nem pode haver verdade desportiva. A culpa não é de ninguém. Os pombos demoram 35 minutos a chegar de Viana do Castelo até aqui e em percurso de montanha.

Os únicos concursos em que não nos podemos queixar é nos de Leste (Fundo), independentemente da força dos pombos ser a zona de Viana do Castelo, no entanto sou favorável à realização de Campeonatos Distritais de Velocidade, Meio-Fundo e Fundo, contra nós falo, mas é importante os columbófilos competirem em conjunto, é esse o principal papel da Associação Columbófila do Distrito de Viana do Castelo - aproximar os columbófilos".

PENSAMENTOS DO CAMPEÃO

1) Há columbófilos que ficam todos contentes quando na 4ª ou 5ª feira vêm os seus pombos a voar nas alturas, eu, pelo contrário, entro em pânico.

2) À 6ª feira, desinfecto as narinas de todos os pombos com Natura Drops ou Mugm X e escureço o pombal às 15 horas.

3) Para tudo se quer sorte, muita dedicação, começando a marcar bem dá ânimo.

4) Quando uma pessoa se desmotiva parece que contagia o pombal.

5) Concordo a 100% com a velha máxima de que as Campanhas se ganham na muda. Desde que faço isso as performances desportivas têm sido melhores.

6) Não se pode mudar uma "palha" no tratamento quando se vai para um concurso decisivo.

7) Gosto de ganhar concursos, mas mais do que isso gosto de fazer fitas bonitas.

Mário Tavares (esqª) a receber um prémio

Entrega de Prémios 2009 UC Valenciana

 

Efectue uma assinatura e leia o jornal Mundo Columbófilo
É simples, clique AQUI