José Carlos Almeida Rosa

 ReportagensVisitas: Contador de Visitas 
VIEIRA & SILVA (MUGE) - CAMPEÃO NACIONAL MARATONA 30-12-2010
VIEIRA & SILVA - Muge
Campeão Nacional Maratona
 

Manuel Vieira

Por… José Maurício de Carvalho, Meia Via 

Sem qualquer sombra de dúvida, o VIEIRA, que faz equipa com seu filho após falecimento de seu pai em 1999, foi o columbófilo que mais se destacou, não só na Zona Sul do distrito como, em termos mais globalizados, a nível Distrital, esquecendo as Zonas, mas não ficou por aqui porque a proeza das suas campeãs estende-se também a âmbito nacional e, se não, vejamos… viajando pela primeira vez em três fortes colectividades, foi Vice-Campeão Geral na SC Muge entre 30 equipas, Campeão em Fundo e Velocidade.
 
Na SC Salvaterrense, também com 30 equipas, foi Campeão Geral, Campeão de Velocidade e Fundo e na UC Almeirim, 3º na Geral, Campeão de Velocidade e Fundo.
 
No Distrito, o palmarés em 2010 foi o seguinte… Campeão Distrital em Velocidade e Fundo na Zona Sul e 5º classificado no Campeonato Distrital de Fundo Absoluto, sem Zonas, e também foi a colónia que somou mais pontos em todo o distrito no Campeonato Maratona.
 
A nível Nacional, 6º Nacional de Fundo, 2º Melhor Pombo Maratona (nº8657492/08) e Campeão Nacional Maratona. Brilhante e inesquecível, amigo Vieira.
 
EFECTIVOS
60 viúvas adultas e aproximadamente 40 jovens que gosta imenso de jogar ao primeiro ano com resultados extraordinários.
 
Confessa-se um apaixonado pelo Campeonato de Yearlings e considera que são uma ajuda preciosa na selecção de novos valores que, afinal, são o futuro de qualquer colónia.
 
QUEM É O VIEIRA ?
Aos 55 anos e praticante columbófilo desde 1976, o Vieira que sempre tinha viajado na SC Muge, foi convidado a encestar nas colectividades referenciadas anteriormente, onde "passeou" a classe das suas viúvas e a arte que tem como jogador ao mais alto nível.
 
 Ainda em termos desportivos, o Vieira foi durante muitos anos e nos vários clubes onde jogou, um futebolista extraordinário e o autor que o diga, pois apesar da sua "ratice" de quase oito anos mais velho, via-se em "palpos de aranha" para o travar.
 
ORIGENS DA COLÓNIA
Cultiva os "Belguitas", de António Luís Galrão, os antigos Simons, de Manuel Bento Almeida (azuis), Belgas do Xico e ultimamente adquiriu um macho "Patriarca" que já "bons frutos", mas os melhores reprodutores que sempre teve foram os "Pedradinhos", do Sargento da Malveira.
 
A MELHOR DAS RECORDAÇÕES
Consciente de que 2010 foi um ano magnífico, jamais esquecerá o ano de 2007, onde em Muge e com 46 equipas, conquistou tudo o que estava em jogo, Campeonatos e, também foram seus, todos os Pombos Campeões. Foi, disse o Vieira emocionado, a melhor homenagem que podia prestar a seu Pai (José da Silva) que também, enquanto foi vivo, era seu sócio nos pombos.
 
Ainda em 2007, a sua "001/04", que "mora" no pombal de reprodução, foi Vice-Campeã Nacional na especialidade de Meio-Fundo. No distrito e na sua Zona, foi Vice-Campeão de Fundo, 3º em Meio-Fundo e 4º na Velocidade.
 
INSTALAÇÕES
As viúvas durante toda a semana estão instaladas em duas voliéres, uma para as atletas que vão ser jogadas em Velocidade e Meio-Fundo e a outra para as fundistas.
 
 Os borrachos estão no primeiro pombal, no segundo que é onde se recebem as atletas que foram à prova, estão fechados em casulos os 35 machos que possui.
 
No piso inferior, estão os reprodutores.
 
Tudo como se impõe a um columbófilo campeão e a uma colónia de alto gabarito.
 
COMO JOGA ESTE CAMPEÃO
A viuvez absoluta de fêmeas é o método que para o Vieira não tem similar.
 
 Nesta colónia, os machos nem sequer voam à volta do pombal, mantendo-os fechados até ao dia da chegada, permanecendo no mesmo, com as companheiras, até ao final da tarde nas provas de Velocidade e Meio-Fundo, excepção feita às atletas que fazem Fundo, já que pernoitam com os machos, sendo retiradas para a voliére no dia seguinte.
 
O QUE DÁ A SEUS POMBOS
Sendo absolutamente a favor dos produtos naturais, mistura à chegada e na água leite e mel em pó da Trevit.
 
Mais à tardinha e dependendo da dureza da prova, alterna os preventivos contra as tricomonas, vias respiratórias e salmonelose, procedimento que se prolonga ao dia seguinte, exceptuando a semana em que prepara os pombos de Fundo, semana essa onde quase tudo se altera.
 
Assim, as viúvas que só fazem Velocidade e Meio-Fundo comem ração de dieta durante a semana. Quanto às fundistas, só comem ração sport. Ainda para as atletas de Fundo, só no dia de encestamento lhes é servida uma ração mais ligeira.
 
À 2ª feira, na água, mistura Bio Gold, na 3ª Sedochol, na 4ª água simples, à 5ª vitaminas, essencialmente da componente B e aminoácidos. Na 6ª, dá frutose e no dia da partida, água simples.
 
OPINIÕES
O Vieira, considera que, sem o Campeonato Geral, a columbófilia morreria no nosso país, pois é aquele que, quase unanimemente, se ajusta à mentalidade e preferência dos nossos columbófilos. No entanto, confessa que o Campeonato de Fundo é a sua grande paixão.
 
Lamenta que, entre as provas mais longas, não haja um intervalo maior. Assim, mais cinco ou seis dias seriam suficientes e não era difícil enquadrá-los no Calendário Desportivo. Bastava um pouco mais de estudo e compreensão.
 
Os recenseamentos deveriam ser limitados para quem possui muitos pombos e os atletas designados deviam seguir um Padrão Único a nível nacional.
 
Na sua opinião, a "MOSTRAGEM" dos machos antes das provas só serve para acelerar o stress e os resultados podem passar do tudo para o nada ou, quase nada.
 
O seu tipo de pombo preferido vai para aqueles que se mostram mais combativos e persistentes, independentemente da dureza das provas e, obviamente, para os que chegam na frente com mais regularidade.
 
Treinos em linha, só para borrachos, mas todas as suas fêmeas são encestadas para a prova e as restantes a treino efectuado pela colectividade de Vila Chã de Ourique no carro da mesma em treinos semanais.
 
No defeso, não se preocupa demasiado com a limpeza dos pombais, porque chegou à conclusão que assim toda a colónia adquire mais defesas, isto desde que lá não entre humidade.
 
Confessa humildemente que aprendeu bastante com os trabalhos do Autor e não só, no seu jornal preferido (Mundo Columbófilo), do qual é assinante ferveroso e enaltece a sua luta e persistência na divulgação do NOSSO DESPORTO.
 
Por amor à sua colectividade, está sempre inserido em todos os Elencos Directivos e nunca se arrependeu de tal opção.
 
A finalizar, o nosso anfitrião confessa-se orgulhoso da sua colectividade que, em 2004, comemorou as "Bodas de Ouro" e que, finalmente, vai concretizar o velho sonho de possuir uma nova Sede Social, graças às excelentes receitas do grande leilão de borrachos que se repete todos os anos.
 
Aproveitando a presença do "Mundo Columbófilo", AGRADECE a todos os Columbófilos Nacionais, os extraordinários borrachos ofertados para tal evento que tornou possível passar do sonho à realidade.

Entrega de Prémios ACD Santarém 2009 (Vieira & Silva)

Entrega de Prémios SC Muge 2007