José Carlos Almeida Rosa

 ReportagensVisitas: Contador de Visitas 
PEDRO BARRADAS (CABEÇO DE VIDE) - A SUA REACÇÃO À EXCLUSÃO NOS VALÊNCIAS 28-10-2015

PEDRO BARRADAS • Cabeço de Vide

Pedro Barradas, a sua reacção à exclusão nos Valências

Os dois Valências Nacionais da Campanha passada foram alvo de uma cobertura mediática como nunca tinha acontecido na columbófilia portuguesa. O esforço da Federação Portuguesa de Columbófilia (FPC) em promover estas duas importantes provas é digno de reaçce. O país falou de columbófilia!

No entanto, este regresso com pompa e circunstância de provas nacionais ficará marcado negativamente pela exclusão dos columbófilos do distrito de Portalegre das classificações, uma vez que, após as provas realizadas e terem sido publicadas as classificações provisórias, a FPC decidiu excluir todos os columbófilos do referido distrito uma vez que que o Regulamento interno da Associação permitia o encestamento de 30 pombos a cada uma das provas, contrariando o Regulamento Desportivo Nacional (RDN) e, segundo a FPC, a respectiva Associação não entregou as correcções nos prazos definidos entre ambas as partes!

Por recurso da ACD Portalegre, o assunto está neste momento nas mãos do Conselho de Justiça da FPC.

Pedro Barradas, um columbófilo jovem de Cabeço de Vide, viu o seu nome retirado do primeiro lugar, isto apesar de ter enviado 20 pombos a cada um dos concursos de fundo 2015, ou seja, cumpriu na íntegra o RDN! Mundo Columbófilo quis ouvir como viveu todo este problema e o que sente face à sua exclusão… a sua resposta foi… “Se os meus pombos foram nas duas provas o conjunto mais forte e regular, se foi o melhor a cumprir tudo, é duro sentir que ROUBARAM o MEU TÍTULO”.

  • Este deverá ser um tema de reflexão profunda por parte da estrutura columbófila, pois esta tem o dever de defender os columbófilos e, por conseguinte, evitar que situações destas aconteçam!
  • Quantos pombos enviou a cada um dos concursos de Fundo da Campanha 2015?

    Enviei 20 pombos a cada prova de fundo 2015, incluindo os Nacionais de Valência. 

    O que sentiu quando tomou conhecimento que aparecia em 1º no Campeonato dos Valências Nacionais e depois, mais tarde, quando os columbófilos de Portalegre foram retirados da respectiva classificação?

    As provas Nacionais de Valência eram um dos meus dois principais objetivos para 2015. Em primeiro lugar ganhar o Fundo no Clube e tentar marcar bem nos Valências. As coisas correram conforme esperado e logo no dia seguinte ao segundo Valência comecei a fazer contas. Comparei as minhas horas com a dos adversários e vi que tinha possibilidades de vencer a Zona 2 e o conjunto a nível nacional.

    Quando chegou a confirmação foi uma alegria enorme. Fiquei super contente, o meu sonho estava realizado, pois desde que me iniciei no desporto columbófilo, o meu sonho era chegar ao top nacional de fundo, as provas com mais verdade em que é o valor do pombo que faz a diferença maior.

    No segundo Valência, chorei nos instantes após a chegada das primeiras 3 fêmeas, pois acabava de conquistar mais um campeonato no Clube e no Distrito.

    Os dias seguintes foram espectaculares. Finalmente tinha um pouco de reconhecimento do meu trabalho e do valor dos meus pombos. Na altura, estava longe de pensar que isto poderia terminar assim… quando soube da retirada dos columbófilos de Portalegre, pensei que tudo se iria resolver pelo melhor, já que como se diz, quem não deve não teme e sabia que tinha cumprido com tudo o que estava estipulado no que diz respeito a regras e normas. Fiquei à espera que o meu nome fosse reposto no lugar devido.

    Existe a ideia de que a FPC fez o que tinha de fazer, ou seja, cumprir o Regulamento Desportivo Nacional, e que os columbófilos do distrito de Portalegre devem reclamar junto da sua Associação. O que pensa disto?

    Na minha sincera opinião a culpa nisto tudo é de ambas as partes, ou seja, por parte da Federação Portuguesa de Columbofilia, porque eu, como sócio federado, pagante e a participar num Campeonato em que a FPC é a principal organizadora, deveria acautelar todos os aspectos. Não posso ser eu a pagar pelas falhas da minha Associação.

    A meu ver, neste processo, a FPC nunca se preocupou com quem cumpre os regulamentos aqui no distrito.

    Permitam que partilhe convosco o meu ponto de vista… no meu distrito (Portalegre), reina e impera a vontade de alguns abastados que querem por força mandar muitos pombos para oprimir os pequenos, mas alguns deles esquecem-se que enviar pombos às provas custa dinheiro e às vezes esquecem-se das datas dos pagamentos. Enfim…

    Assim, em 2015, aqui em Portalegre, podia enviar-se 30 pombos às 7 provas de velocidade, 30 às 7 provas de meio-fundo, 30 às 7 provas de fundo e 30 às duas provas de Igualada… foram esses os limites que a ACD Portalegre que constavam do Regulamento enviado para a Federação antes do início da Campanha.

    Pergunto… então se a FPC tinha conhecimento do mesmo, ainda hoje dia 26 Outubro 2015 acabei de verificar e constam no sítio da FPC. Então se existia conhecimento, porque razão a FPC se desculpa a dizer que por distracção não viu?

    No meu ponto de vista, na existência de columbófilos a enviar mais de 20 pombos, como diz no Regulamento, só contariam os primeiros 20 do boletim de encestamento. No total, só 7 columbófilos em Portalegre enviaram mais de 20 pombos, sendo que nos Valências só 3 o fizeram.

    Digam-me lá onde está a dificuldade em corrigir isto???

    Onde está a boa vontade?

    Durante todos estes dias que se seguiram à retirada do meu nome das classificações, efectuei diversos contactos, tanto com a FPC, como com a ACD Portalegre, na pessoa do seu presidente. Cedo fiquei a saber que os atritos entre as duas partes já vinha de longe, ao ponto do presidente da minha Associação já ter pedido por três vezes a demissão do director desportivo da FPC. Percebi também que a retirada provisória dos columbófilos de Portalegre seria uma forma de fazer pressão sobre a ACD Portalegre afim de esta cumprir com os Regulamentos.

    Nesta altura, comecei a temer o pior...

    A FPC exigia à ACD Portalegre a correcção das classificações em que só poderiam contar os 20 pombos e a Associação não queria efectuar a correcção alegando que a FPC tinha conhecimento dos limites.

    Em Agosto, perante este impasse, realizou-se uma reunião entre as partes envolvidas (FPC - ACD Portalegre e Colectividades). Eu, como parte interessada, sentei-me logo na primeira fila, já os outros...bem ao fundo da sala. A FPC, na pessoa do seu Presidente, disse que para que a correcção fosse efectuada rapidamente disponibilizava uma funcionária da FPC para no dia seguinte estar em Ponte de Sôr, local da sede da Associação, para ajudar na rectificação das mesmas. Tal não achou necessário o Presidente da ACD Portalegre que se comprometeu até ao final dessa semana, com a ajuda dos clubes, a rectificar tudo. Facto que, pelos vistos, não veio a acontecer, nem nos prazos acordados nem da forma correcta. Não por culpa dos clubes, que esses cumpriram.

    Saliento ainda que nessa reunião aconteceu o que nunca deveria ter acontecido...foi convocada pela FPC, realizada, mas no final não se elaborou qualquer acta da mesma, ficando tudo o que se disse, como um mero acordo de palavra em que a posteriori cada uma das partes interpretou de forma diferente.

    Visto isto, onde está a minha culpa??? Onde falhei???

    Em sua opinião, este problema poderia ter sido resolvido de outra forma?

    Como atrás referi, se a culpa é das duas partes, a FPC só tinha duas alternativas...

    1) Sabendo quais os columbófilos que mandaram mais de 20 pombos, excluía os pombos para além dos 20;

    2) Desclassificava os que mandaram mais de 20 pombos, ou seja, apenas 7 columbófilos e que nos Valências só 3 o fizeram.

    Desta forma, os cumpridores nunca seriam prejudicados.

    Como columbófilo jovem, sente de alguma forma que não teve o apoio que esperava da estrutura columbófila?

    Durante este tempo que me tirou muitas horas de sono, não tive nenhum apoio a não ser de 4 ou 5 amigos, incluindo o Presidente do meu Clube. O resto zero.

    As pessoas com quem falo todas me dizem, Pedro para nós tu é que és o Campeão! Mas isso para mim não chega, não quero nada que não seja meu. Se os meus pombos foram nas duas provas o conjunto mais forte e regular, se foi o melhor a cumprir tudo, é duro sentir que lhes "tiraram" o título.

    Tudo isto tornou-se duplamente revoltante porque o ano passado fui prejudicado também no Nacional de Fundo, ou seja, em 2014, enviei a cada prova de fundo 16 pombos e o meu coeficiente foi calculado a enviar 30,. Reclamei por escrito para a FPC e para a ACD Portalegre e se uma parte me respondeu mal, a outra mal me respondeu...

    Este ano acontece isto... às vezes digo entre amigos, para o ano o que será???

    Não quis ser mais duro nas minhas palavras, as quais assumo, mas na columbófilia existem muitos interesses sujos de gente que não vale nada e se as dificuldades económicas estão a levar ao abndono muitos amadores, os ditos interesses estão a levar à desistência de outros tantos.

    Com o que me aconteceu nestes dois últimos anos e que atrás descrevi, só não sou mais um para aumentar a lista dos abandonos, pelo amor e orgulho que tenho nos meus pombos, aos quais tenho dedicado muito da minha vida e por poder ter o prazer de chegar de manhã ao pombal e ver a equipa de pombos que em 2015 quando voaram todos contra foi a mais forte.

    Termino, agradecendo aos amigos que sempre me apoiaram e a oprtunidade que o "Mundo Columbófilo" me proporcionou para esclarecer um pouco as coisas.

    As maiores felicidades a todos e lembrem-se sempre, no dia em que não houver vencidos, não existirão vencedores.

    pedro barradas.jpg

    Joaquim Barradas e Pedro Barradas

    valencia2.jpg

    Vencedora do Valência 2 no Asas de Portalegre.
    5º - no distrito
    7º - na zona 2 - 6900pombos
    37º - nacional - 45000 pombos

    pb.jpg

    Vencedora do Valência no Asas de Portalegre

    af.jpg

    ANILHA DE OURO DE FUNDO 2015 NO ASAS DE PORTALEGRE
    ANILHA DE BRONZE DISTRITAL 

    pb1.jpg

    Fêmea Campeã Geral no Asas de Portalegre 2014
    Anilha de Ouro Distrital Geral 2014
    Anilha de Ouro de Borrachos no Asas de Portalegre 2013.
    1º Distrital de Calatayud (620 km) 


    ANILHA DE OURO DE FUNDO 2013 NO ASAS DE PORTALEGRE 


    ANILHA DE PRATA DE FUNDO 2011
    IRMÃO DO ANILHA DE OURO GERAL 2009
    MEIO IRMÃO DA ANILHA DE OURO DE FUNDO 2010


    A 47- GRANDE VOADORA DE FUNDO
    VÁRIOS PREMIOS NA DEZENA
    1º SOSES 735 KMS NO CLUBE DE FUNDO DO ALTO ALENTEJO E NO ASAS DE PORTALEGRE
    ANILHA DE PRATA DE FUNDO EM 2014


    ANILHA DE PRATA GERAL EM 2011 NO ASAS DE PORTALEGRE
    MÃE DA ANILHA DE OURO DE FUNDO 2013


    ANILHA DE OURO DE FUNDO EM 2010 NO ASAS DE PORTALEGRE

    pombal pb.jpg

    Pedro Barradas junto às suas instalações columbófilas

  •