José Carlos Almeida Rosa

 ReportagensVisitas: Contador de Visitas 
BEJA VAI TER ALDEIA COLUMBÓFILA !!! 01-08-2008
BEJA VAI TER ALDEIA COLUMBÓFILA

Columbódromo tem luz verde
do Município de Beja

A campanha desportiva da Associação Columbófila do Distrito de Beja, recentemente concluída, foi bem sucedida e apesar de significativas perdas de aves surgiram novos campeões distritais.

Rogério Ricardo ACDBEJA

 Como decorreu a última campanha desportiva?

Bem, dentro dos parâmetros possíveis, pois a campanha ficou marcada pela nomeação de uma comissão administrativa para gerir os destinos da Associação Columbófila do Distrito de Beja durante esta campanha. Muitos dos elementos são jovens e com pouca experiência, mas chegámos ao fim com a missão cumprida.

 Os vencedores habituais?           

Este ano tivemos bastantes surpresas, não sei se pelo facto de o calendário ter sido diferente, com a realização das provas de velocidade apenas em Portugal e o meio fundo e o fundo em Espanha. Mas tivemos vários campeões diferentes do habitual, quer numa zona, quer noutra.

 O novo figurino trouxe mais valias?

Julgo que foi possível racionalizar os meios que temos, este ano juntámos o distrito todo, quer em velocidade, meio fundo e fundo, para economizarmos os recursos da estrutura columbófila. É certo que alguns columbófilos queixam-se de os pombos terem feito poucos quilómetros, mas há outros que se queixam do contrário, o distrito é muito extenso, é muito difícil encontrar uma solução que contente toda a gente. Este ano houve, sobretudo, um ânimo diferente em relação aos outros anos. É bom que apareçam outros campeões para motivar os columbófilos e dinamizar a columbofilia.

Houve perda significativa de aves?

Tivemos um problema, curiosamente, foi na 13ª prova, desde Zamora, julgo que derivado a uma intempérie de neve na cordilheira que está na linha da Serra da Estrela e Salamanca e que as aves tiveram que atravessar. Houve qualquer problema mais sério porque se perderam ali muito pombos bons. As perdas do resto da campanha, que foram significativas, deveram-se, especialmente, aos "ventos de rabo" que desviam os pombos da rota.

 Qual o sentimento de perda de um pombo?

São dias de angústia. Bem me posso queixar disso, porque perdi a minha melhor fêmea exactamente na tal prova nº 13, o número do azar. Por lá ficou, era a ave que, na altura, liderava todos os campeonatos: Asas de Beja, Zona Azul e Distrital.

 Perspectiva-se uma solução directiva para breve?

Estamos a trabalhar. Vamos reunir-nos com as colectividades e tentaremos elaborar uma lista que possa assumir os órgãos sociais da Associação e elaborar os calendários para as próximas quatro temporadas. Nestes termos as provas já se poderão fazer desde Espanha, mas com algumas restrições. Em velocidade podem-se escolher três locais diferentes, no meio fundo é igual e em fundo quatro locais diferentes.

 Quem é o cabeça de lista indigitado?

A Associação não pode cair num poço sem fundo, estou a tentar que a lista se forme. O António Simão é o homem certo, queria ver se ele não me abandonava agora e dava o passo em frente, porque é o homem certo nesta altura. Já falei com ele, está um pouco indeciso, mas vou ter que o convencer. Espero que ele volte e seja o novo líder da columbófilia.

 Novos projectos para o futuro da columbófilia bejense?

Temos os projectos prontos para candidatarmos a fundos comunitários, para a construção do edifício sede da Associação e espaço para recolha dos nossos camiões. Também estamos a falar com a Câmara de Beja no sentido de nos disponibilizar um terreno, que deverá ser na estrada da Carocha, para juntar a construção de uma aldeia columbófila ou "columbódromo" para reunirmos os columbófilos de Beja, porque alguns já estão com problemas de manutenção dos seus pombais no interior da cidade. “Os columbófilos que estão dentro da cidade, com problemas com vizinhos e tudo mais, têm agora esta hipótese de vir para uma aldeia que fica fora da cidade, sem problemas alguns com a vizinhança e onde se poderá praticar o desporto com segurança”, vinca Rogério Ricardo.

Balanço positivo da Campanha Desportiva de 2008.

 O avanço do projecto de construção da aldeia columbófila em Beja surge duas semanas após a ACDB ter revelado as classificações finais provisórias da temporada 2008 no distrito de Beja, marcada pela vitória, na Zona Centro-Leste, de três columbófilos ligados à Sociedade Asas de Beja.

Na “categoria-rainha”, o fundo, triunfou António Simão, seguido de José Ameixa e Manuel Teixeira, ambos da Sociedade Columbófila Asas de Beja.

No meio-fundo o vencedor foi Bruno Helena, seguido de Luís Brito (da Secção Columbófila do Cabeça Gorda) e José Marujo (da Zona Azul). Finalmente, na velocidade, foram melhores os atletas do Pombal Superstars, seguidos por José Rosa Santos e Luís Rosário, ambos da Sociedade Columbófila Asas de Beja.

Na Zona Sul, as vitórias foram “repartidas” por columbófilos de três diferentes colectividades, com o triunfo em fundo a sorrir à dupla Carlos & Alexandre Mourão, da Sociedade Columbófila Estrela Alentejana, de Ervidel, seguidos de Manuel Batista (Sociedade Columbófila Alentejana, de Santa Vitória) e Mário Banza (Sociedade Columbófila Aljustrelense).

Em meio-fundo venceram Júlio & Moreira & Teixeira (do Clube Columbófilo Asas de Almodôvar), a que se seguiram Carlos Rodrigues (Sociedade Asas Verdes, de Castro Verde) e a equipa Asas do Futuro (Asas de Almodôvar).

Finalmente, na velocidade, o primeiro lugar coube a Manuel Batista (Sociedade Columbófila Alentejana), seguido da Dupla de Entradas (Sociedade Asas Verdes) e António Barros (Sociedade Columbófila Ouriquense).

“Tivemos vários campeões este ano, o que é bom para columbofilia. Desperta mais interesse”, afirma Rogério Ricardo, para quem o balanço final da campanha é “positivo”.


 

Beja vai ter Aldeia Columbófila
 

 

A Associação Columbófila do Distrito de Beja (ACDB) e a Câmara de Beja acertaram esta semana os últimos detalhes da futura Aldeia Columbófila da capital de distrito.

O projecto há muito que vinha a ser preparado entre ambas as partes e é encarado pelos responsáveis da columbófilia distrital como uma “mais-valia” para o desenvolvimento da modalidade no Baixo Alentejo.
 
“Pode ser o princípio para que a modalidade se desenvolva, puxando mais jovens”, sublinha Rogério Ricardo, um dos membros que compõem a actual comissão administrativa que lidera a ACDBeja.

O projecto da futura Aldeia Columbófila, que ficará localizada nas traseiras do Parque de Materiais da autarquia bejense e é inédito na região (apesar de em Odemira também estar previsto um equipamento do género, promovido pela autarquia local e a Sociedade Columbófila de Odemira), está avaliado em cerca de 40 mil euros (em caso dos pombais serem de madeira, como é provável, diminuindo o custo para 20 mil euros se forem em alvenaria), devendo a sua construção arrancar ainda este mês de Agosto.

Quando concluído, o novo equipamento disponibilizará duas dezenas de pombais para os columbófilos da cidade que se inscreveram previamente na ACDB praticarem a modalidade em melhores condições que actualmente, tendo estes de pagar apenas a conta da luz e água.