José Carlos Almeida Rosa

 ReportagensVisitas: Contador de Visitas 
PALESTRA DE AD. SCHAERLAECKENS 02-12-2008

PALESTRA DE AD. SCHAERLAECKENS

Integrada no Programa da ExpoRainha

 

SÁBADO DIA 29 DE NOVEMBRO DE 2008

17 HORAS

SEDE DO RANCHO FOLCLÓRICO

VILA NOVA DA RAINHA

(300 METROS DO PAVILHÃO)

Pedro Lopes na condução e tradução da palestra

 

Ad. Schaerlaeckens respondendo às questões feitas pelos columbófilos

 

A assistência manteve-se sempre atenta

 

INTRODUÇÃO

No dia 29 de Novembro 2008 (Integrado no Programa da ExpoRainha), tivemos entre nós o "Mestre" Ad. Schaerlaeckens.

 

A palestra apresentada, focou e apresentou um conteúdo diversificado com temas de boa qualidade, procurando transmitir uma informação vocacionada à realidade do Desporto Columbófilo Mundial, onde certamente a estrutura e os columbófilos portugueses têm um papel de relevo e de destaque !!!

 

Constatei que os columbófilos portugueses presentes neste seminário (poucos mas bons), os que acompanham e se preocupam com a realidade do desporto columbófilo mundial, para que de certo modo o possam analisar e compreender, indo ao encontro dos que à partida, procuravam uma informação credível e mais completa, para ir de encontro às suas próprias dúvidas, sendo indubitálvelmente um catalizador para todos aqueles que estavam sedentos por uma informação isenta e credível sobre a columbófilia moderna, num misto de informação e de análise crítica, para que de forma consciente e responsável, possamos progredir cada vez mais num futuro não muito longíquo !!!

 

Entendo, sériamente, que sem análise, estudo e sentido crítico construtivo, não há futuro !!!

 

Acho que nós, columbófilos portugueses, somos capazes de construir "um novo futuro" para a Columbófilia Portuguesa, melhorando e transformando a nossa realidade com base no aprendizado do passado, do presente e catapultando-a para o futuro !!!

 

O futuro, obrigatóriamente, terá que ser de mudança, uma extrema e permanente mudança de estruturas, realidades e mentalidades !!!

 

Por tudo isto, considero de que os columbófilos portugueses têm um papel muito importante na construção de um futuro melhor para a Columbófilia Portuguesa, dando o seu apoio e participando como agentes activos dessas mudanças (renovação de mentalidades), pelo que saúdo e felicito todos aqueles que estiveram presentes no seminário de Ad. Schaerlaeckens.

 

Entendo que, para a maioria dos columbófilos presentes neste seminário, a sua perspectiva de encarar a columbófilia (Jogo, Alimentação, Tratamentos, Preparação, Selecção de Pombos, etc...), se tenha alterado substancialmente com o testemunho do "Mestre" Ad. Schaerlaeckens.

 

Por mim, fiquei extremamente feliz e contente, com esta brilhante inciativa, saudando e felicitando todos aqueles, que com o seu trabalho, extraordinária dedicação e a sua visão de futuro para a Columbófilia Portuguesa, deram corpo a este inolvidável encontro com um dos mais consagrados jornalistas e columbófilos a nível mundial ("Mestre" Ad. Schaerlaeckens).

 

SINCEROS AGRADECIMENTOS À ORGANIZAÇÃO DA EXPORAINHA !!!

 

José Carlos : Gabinete de Imprensa ACD FARO

 

 

 

Uma vez que reproduziu muitos bons pombos e tem um nome muito respeitado no mundo columbófilo gostava de lhe colocar algumas questões:

 

Porque é que tem mais sucesso que os outros a reproduzir?

 

Eu apenas reproduzo de pombos que tenham marcado bem. Considero também muito importante que esse pombo tenha irmãos e irmãs a marcar, ou seja uma família de bons pombos.

Eu nunca reproduziria do melhor pombo do mundo se este não tivesse bons irmãos ou irmãs.

Contudo também cometo erros. Vou-lhes dar um exemplo:

O meu Creilman  e o meu Invincible ( 10 x 1º) foram super voadores mas como reprodutores os seus filhos não aprovaram como voadores. Devido aos maus resultados dos filhos como voadores, eu não aconselhava a compra de borrachos dos mesmos. Contudo quem comprava não os voava mas sim colocava directamente na reprodução reproduzindo muitos bons pombos, criando assim uma geração de bons pombos.

 

Falando de Consanguinidade. Qual é o mais perto que cruza?

 

Eu sou contra a consanguinidade. Grande parte dos pombos Bons que conheço são fruto de cruzamentos. Constato este facto na minha casa e na casa de grandes amigos que marcam muito bem.

A consanguinidade é boa para quem quer vender pombos. Os compradores gostam de consanguíneos.

Vou dar um exemplo: “ Em conversa com o Dirck Van Dyck o mesmo me disse: “ Os que tiro para mim para voar são fruto de cruzamentos, depois no Verão reproduzo em consanguinidade pombos que considero menos bons porque o mercado assim o exige “

 

Acha importante a idade dos reprodutores?

 

Os pais de quase todos os pombos bons são pombos novos. A minha explicação para isto é os pombos encontrarem-se cheios de vitalidade e saúde ( em especial as fêmeas).

Na minha opinião um pombal de reprodução não se deve parecer a um asilo de pessoas de idade.

Vejo muitas vezes nas casas de columbófilos que visito, pombos de idade que nunca reproduziram um Campeão e eu pergunto mas o que é que este pombo está a fazer aqui?

As desculpas são sempre as mesmas, vem de uma boa colónia, custou-me muito dinheiro, é irmão de bons pombos, etc….

Um pombo com 3 anos deve ser um reprodutor comprovado caso contrário não tem lugar no pombal de reprodutores, independentemente da origem.

 

Procede a curas ou administra extra vitaminas durante a reprodução?

 

Fazer tratamentos? Porque que razão os devo fazer?

O único tratamento que faço é durante o Outono e é as salmonelas / paratifose  durante 10 dias com um produto tipo Para-stop do Dr. Henk de  Weerd  e é tudo.

No passado fazia cura as tricomonas mas deixei de o fazer, e hoje não tenho problemas com as tricomonas no meu pombal.

Utilizo muito vinagre de maça no inverno ( 3 vezes na semana) e muito alho na bebida (2 vezes por semana).

Com a redução do uso de antibióticos, consegui eliminar o Adeno e o Coli do meu pombal. Quando os meus borrachos adoeciam deixava-os juntamente com os outros, inclusive os que morriam ficavam no pombal. Desta forma consegui que os meus pombos hoje sejam resistentes a essa doença tão mortal nos borrachos. Relembro que não limpo o pombal durante o Inverno, e muito poucas vezes durante a campanha mas o mesmo é seco e isento de qualquer tipo de humidades.

Não gasto dinheiro em vitaminas visto que não acredito nelas. Nunca constatei um aumento da condição nos pombos após administração das mesmas. Inclusive testei em secções diferentes no pombal e não vi diferenças.

 

 

Uma vez que é considerado um especialista no jogo de borrachos ( nascidos e voados no próprio ano), alguns até dizem que é o "Melhor do Mundo" nessa especialidade, tenho aqui algumas questões que lhe gostava de colocar:

 

Como é que trata dos borrachos assim que os separa?

 

Embora seja um sistema muito vasto, vou tentar resumir o melhor que conseguir. Procedo da seguinte forma:

São separados com a idade de 22 dias. Durante o período de separação não recebem sementes pequenas na sua alimentação. Todos os dias entro no pombal e procuro pombos fracos para serem eliminados. Saúde Natural é o que procuro, só esses sobrevivem, independentemente da origem.

 

Como é o seu esquema de treinos?

 

Borrachos saudáveis começam a treinar espontaneamente pelo menos uma hora por dia quando têem cerca de 10 semanas de idade isto em condições normais. Isto é bom sinal. Desenvolve o apetite e desenvolve os músculos, pulmões e outros órgãos.

É nesta altura da vida de um borracho que se ensinam as boas maneiras. Eles têem de se comportar como o columbófilo quer que eles se comportem.

Os borrachos são como as crianças, uma boa atitude resulta da educação que receberam em pequenos. Uma criança que não tenha recebido e seguido certos preceitos em pequeno mais tarde vai ser muito difícil confrontar-se com eles.

É da culpa do columbófilo o facto de os pombos não entrarem bem.

O verdadeiro columbófilo conhece os seus pombos e os pombos conhecem-no a ele. Num pombal bem conduzido não existem pombos a fugir do seu dono quando se pretende pegar neles, não existem pombos com penas arrancadas, não se ralha com os pombos porque são bravos, etc…Um columbófilo que tenha estes problemas tem de ser muito optimista para desejar uma boa entrada no dia do concurso.

Nunca perseguir um pombo, seja em que circunstancia for, usar sempre as mesmas roupas (bata). Sempre que tiverem com pressa ou com preocupações, afastem-se do pombal, evitem importunar os pombos.

Para se ter sucesso como jogador de borrachos não basta ter um bom pombal ou bons pombos…também é preciso saber relacionar-se com os borrachos, ter conhecimento dos mesmos e saber como levá-los à forma e saber alimentar.

O verdadeiro columbófilo sabe onde os pombos estão no pombal, porque estuda os seus hábitos.

Os pombos existem com a finalidade de se retirar o máximo de resultados deles. Devemos tratar os nossos pombos com respeito. Quando se pega num pombo deve ser feito com muita calma e de forma suave. O pombo tem de se sentir bem nas nossas mãos. Mesmo quando se solta o pombo deve-se baixar com calma de forma a permitir que ele voe da sua mão para o poleiro ou ninho. Podem estar a pensar mas isto são detalhes…sim é verdade mas fazem toda a diferença.

Acreditem ou não a forma como o columbófilo pega nos seus pombos revela se estamos na presença de um campeão ou de alguém que nunca vai ter esse estatuto.

Todas as noites quando chego ao pombal com a lata da comida contendo grit e um variedade de sementes eu presto atenção a  cada pombo. Eles vão recebendo de forma progressiva as sementes e os amendoins e por vezes eu toco-lhes na cabeça de forma a que brinquem com a minha mão. Muitas vezes esta brincadeira parece-se mais com uma luta, de uma forma calma e controlada eu tento tirar o borracho do poleiro mas deixo sempre que ele ganhe e lute pelo seu território, todas as noites faço isto. Os pombos habituam-se a isto e retiram prazer desta brincadeira. Alguns até se metem comigo para que a brincadeira aconteça.

 

Falando dos treinos ?

 

Torna-se necessário que os borrachos se habituem aos cestos antes de se começar a treinar na estrada. Costumo encestá-los e deixo-os no cestos por umas horas, soltando-os depois no meu próprio quintal. Quando entram no pombal têem sempre água fresca e comida a disposição. Assim aprendem que depois de libertados têem essas pequenas coisas à sua disposição no pombal. Acreditem os pombos tem muito boa memória!!!

Realizo o meu primeiro treino a 5 kms, depois a 10 kms, novamente a 10 kms e depois passo para 15 kms. Continuo a treinar a 15 kms até que os pombos venham directamente para casa como uma seta. Só depois disso aumento a distancia.

 

Utiliza algum sistema especial nos borrachos?

 

Na realidade existem 2 sistemas. Ambos tem vantagens e desvantagens.

 

A)    Ao Natural. Competir com pombos a fazer caça ao ninho, ovos e borrachos no ninho. 65 % dos Holandeses encesta as provas Nacionais importantes com a posição de um borracho no ninho. A grande desvantagem é a falta de vontade para treinar espontaneamente a volta do pombal e condição e motivação que dura só 2 semanas (quando tem o borracho no ninho). Eu não acredito que se possa ser bem sucedido durante 3 meses seguidos neste sistema. A sua melhor prestação é quando nasce o seu 1º borracho.

 

B)     Sexos separados. A grande vantagem deste sistema é que os pombos provam que estar em boa condição a treinarem que nem doidos a volta do pombal. Os machos e as fêmeas estão em secções separadas treinando os machos de manha e as fêmeas da parte da tarde. Algumas horas antes do encestamento deixo-os juntos de forma a que façam amor. Em temperaturas muito quentes procedo a este procedimento no dia anterior ao encestamento. A razão de fazer isto é que assim quando os encesto vão muito mais calmos. Pombos encestados num estado de excitação elevada, cheios de stress, acabam por se cansar muito durante o transporte até ao local da solta. Também não acredito que se consiga praticar este sistema com sucesso 3 meses seguidos já que os pombos fartam-se do sistema

        Ultimamente pratico uma combinação dos dois sistemas.

    Encasalo-os de forma a se conhecerem  e depois separo os sexos.

 

Pensa que este sistema os prepara mais tarde para o sistema da viuvez?

 

Um bom pombo adulto apercebe-se logo do que se está a passar ou o que se vai passar. Independentemente de  ter estado na viuvez em borracho ou não.

Para o pombo é essencialmente uma questão de território. Por isso eu considero muito importante, desenvolver esse instinto no dia a dia.

 

Que tipo de tratamentos utiliza durante a campanha desportiva?

 

O mínimo possível. Os meus melhores anos foram aqueles em que não tive de medicar.

O grande problema é que as pessoas não acreditam nisto que eu estou a dizer.

Dou electrólitos após as provas de muito calor de forma a que os pombos recuperem mais rapidamente.

No caso de doença declarada não me resta outra solução que não seja medicar.

 

Quais são os critérios que utiliza para seleccionar os borrachos depois da época desportiva?

 

Utilizo 2 critérios :

 

Saúde Natural e resultados. Tem de ter ganho 50 % de prémios nos 1ºs 10 %. Um borracho que tenha ganho um prémio de top com vento forte de bico ou um vento forte de cauda sobrevive à selecção também.

 

Uma vez que joga com machos e fêmeas na viuvez quero lhe fazer algumas questões:

 

Como é que joga a dupla viuvez?

 

No Outono depois da muda eu coloco os meus voadores em 2 secções. Digamos fêmeas na secção 1 e machos na secção 2.

Quando os encasalo nos finais de Novembro eles fazem o ninho na secção dos machos ou seja a secção 2. Ficando a secção 1 vazia.

Os pombos praticam o encasalamento livre. Eu tenho muita confiança nestes pombos uma vez que foram severamente seleccionados em borrachos e estabeleci nessa altura uma boa relação com eles. Esta escolha livre do parceiro torna-se importante para uma boa condição e aumenta a motivação. Forçar um encasalamento é um erro. Aproveito os borrachos destes casais para a minha equipa do próximo ano. Uma vez os borrachos criados volto a colocar as fêmeas na secção 1.

Quando as solta para voar elas querem entrar na secção 2 porque sabem que os machos estão lá. Mas o pombal encontra-se fechado e elas não podem ver os machos. Quando solto os machos passa-se o mesmo. Tem de ir para a sua secção depois do treino.

Na secção 2 os ninhos estão abertos, mas os ninhos na secção 1 estão fechados de forma a que as fêmeas não se encasalem entre elas. Se isso acontecer temos um problema. Uma forma de prevenir isso é juntá-las com os machos durante meio dia a meio da semana. Procedendo desta forma vão estar sempre interessadas no seu parceiro.

Duas semanas antes do inicio da campanha volto a encasalar na secção 2.

Entretanto começaram os treinos e a porta que liga as duas secções encontra-se aberta assim como os ninhos das duas secções.

Por instinto natural todos os pombos querem estar na secção 2 uma vez que foi lá que criaram. Quando os ovos têm 4 a 5 dias eu retiro-os e 3 dias depois as fêmeas são colocadas novamente na secção 1.

Começa aqui a campanha desportiva. Uma vez iniciado não existe sistema mais simples que a dupla viuvez.

Os sexos são separados e por vezes podem se encontrar a meio da semana por umas horas, assim como a quando do regresso a casa.

 

Quantas vezes treina os pombos antes e durante a época desportiva?

 

Pombos adultos 4 vezes antes do inicio da campanha, borrachos cerca de 10 vezes.

Durante a campanha, não faço treinos aos pombos adultos. Aos borrachos faço 1 treino por semana.

Vou-lhes dar um exemplo:

O meu grande amigo Willem de Bruijn tinha um amigo que lhe treinava os pombos 2 a 3 vezes por semana em estrada. Quando o seu amigo faleceu o Willem deixou de ter tempo para fazer isso e pensou “ os meus resultados não vão voltar as ser os mesmos”…o certo é que até melhoraram….

Existem coisas engraçadas.

 

Qual a temperatura ideal para um pombal?

 

Isso é algo que não podemos controlar, logo não faz sentido falar sobre isso. Mas na minha opinião 22 º a 23 º. Se aquecerem o pombal acima de 30 º isso seca as vias respiratórias e origina problemas respiratórios.

Um pombal deve ter uma temperatura onde o pombo e homem se sintam bem os dois.

 

Como é que alimenta os seus pombos no dia de encestamento?

 

Se os pombos ficam uma noite no cesto eles comem o que quiserem na refeição da manhã. Os comedouros são retirados perto do Meio-Dia.

Se os pombos ficam 2 dias no cesto voltam a ser alimentados por volta das 16h. Significa isto, que pelos menos seja 2 horas antes do encestamento, de forma a que tenham tempo suficiente para beberem a agua necessária a digestão.

 

Presta alguma atenção especial as fêmeas ?

 

Não consigo explicar porquê? Mas as fêmeas precisam de mais comida que os machos.

Treino-as de manhã visto que a noite torna-se perigoso, visto que voam de tal forma que podem ir para longe e correrem o risco de não regressar a horas.

Na véspera do encestamento nunca as voo porque podem gastar as suas energias uma vez que nessa altura estão no seu pico de forma.

Devemos estar atentos para que não se encasalem entre elas.

 

Quanto tempo mostra as fêmeas antes e depois da prova?

 

Como disse anteriormente mostro os sexos na véspera do encestamento. Desta forma tenho o pombos mais calmos e relaxados no dia do encestamento

 

Quais os truques que utiliza para incentivar os pombos?

 

Eu não acredito muito em truques. Todo o que eu faço tem como base o amor pelo seu território e o ciúme.

Deixo ninhos abertos de forma a que os pombos ganhem territórios e lutem por eles.

Coloco poleiros perto dos ninhos de forma a que outros pombos os ocupem e o dono do ninho tenha de lutar para o expulsar, criando assim amor pelo ninho.

Fecho pombos em meio cacifo obrigando o dono do cacifo a lutar e a odiar o outro pombo.

Mas tudo isto tem de ser construído ao longo da campanha. Não funciona se for feito só uma vez…ou só na véspera do encestamento como muitos fazem

 

Vou dar um exemplo:

 

O Kleine Didi do Etienne Devos vivia num pombal com outro pombo, ou seja um pombal para 2 pombos. O ódio entre eles era tão grande que tinham de estar fechados no seu ninho.

O Kleine Didi quando chegou de Perpignam ( 980 km ) a 1º coisa que fez foi ir direito ao seu adversário e correr com ele do ninho. Picou o outro na zona do pescoço e correu com ele do ninho.

Toda esta preparação foi feita ao longo do tempo pelo Etienne Devos, assim conseguiu retirar o máximo rendimento desde fantástico pombo.

 

Como é que alimenta? Utiliza dietas?

 

Os meus pombos recebem a mesma comida ao longo do ano. O Klak foi o primeiro a fazer isto e hoje em dia quase todos fazem o mesmo. A mistura é a mesma, o que acontece é que as fêmeas comem mais.

 

Como é que aumenta a resistência natural dos seus pombos?

 

Evito fazer tratamentos desnecessários. De preferência não dou tratamentos

Não limpo os meus pombais. Contudo este tem de ser bem seco.

Selecção rigorosa. Se tenho 40 pombos. 38 estão bons e 2 estão doentes esses dois são eliminados, independentemente da origem

Muito vinagre de maça e alho na agua de bebida.

 

Quais os tratamentos e vacinas que utiliza?

 

Como toda a gente vacino para o Paramixovirus. Faço um tratamento de 12 dias com o Para-Stop.

Não faço tratamentos nem as tricomonas nem as cocidioses nem aos vermes. Se o pombal for seco o problema das cocidioses não existe. As fezes dos meus pombos são analisadas 2 vezes por ano aos vermes.

 

Concorda com a expressão “ Ninguém consegue comprar a Boa forma e a Super saúde no Veterinário “

 

Concordo a 100 %. Os columbófilos fracos medicam os seus pombos mais vezes que os Campeões. O verdadeiro Campeão selecciona de uma forma severa e baseada na saúde natural. Constrói também o pombal ideal onde ele e os pombos se sintam bem.

Um Bom pombal é muito importante para manter os pombos em boa forma.

 

Questões Finais

 

No desporto Columbofilo é mais fácil cair do que se manter no Top! Qual é a razão porque muitos se mantêm no Top ano após ano?

 

Numa palavra: Selecção.

Como eu costumo dizer:

“Eliminar os pombos maus, vender os Bons e manter os Supers“

 

Qual a sua melhor experiencia nos pombos?

 

Tenho muitas em 50 anos de columbófilo. Mas posso dizer que foram as 3 vitorias do Orleans Nacional. O facto de muitos dos melhores pombos do Mundo terem origem nos meus pombos.

E ultimamente os resultados únicos do Verkerk na Holanda a colocar 13 pombos em poucos segundos nos primeiros 19 numa prova nacional sendo alguns desses pombos filhos da Bubbles uma fêmea que ele me comprou.

Realço também o facto de o Jespers van der Wegen ter uma pomba na Bélgica este ano considerada a melhor de sempre filha de uma pomba que eu lhe vendi.

Outro acontecimento que me marcou foi o facto de ter sido considerado muito dominante nas apostas e como tal ter sido proibido de apostar.

 

O que faz este desporto ser tão especial para si?

 

O facto de não ser preciso ser atleta, rico, bonito ou inteligente para se ser um vencedor.

Cientistas, pessoas sem estudos, pessoas de idade, jovens, gays e mulheres…todos mas todos podem ter sucesso se usarem o senso comum e acreditarem em Bons Pombos e que segredos não existem !!!

 

Algumas questões colocadas pelos presentes na palestra:

 

Mr. Schaerlaeckens uma vez que não faz tratamentos nem utiliza antibióticos quantas vezes o veterinário vai a sua casa por ano?

 

Não vai. A ultima vez que visitei com um veterinário foi a um ano atrás e foi por causa do meu cão.

 

Qual foi o pombo mais importante que teve?

 

Já tive grandes pombos. Mas devo confessar que o melhor de todos foi o Wouded Knee. Contudo quando me apercebi do seu potencial como reprodutor já era muito velho. Claro que também tenho de falar do meu Good Yearling e da sua irmã Sister Good Yearling os seus descendentes fizeram-me famoso no Orleans.

A minha melhor reprodutora de sempre foi a Sissi. Em 1996 os 7 melhores pombos da província eram filhos dela. Depois começaram a ser os netos a ganhar. Sem dúvida uma grande reprodutora.

 

Acha que as provas em relação a trinta anos atrás estão mais rápidas?

 

Sem dúvida. Não se trata de melhores pombos o que acontece é que consegue-se através da medicina colocar pombos mais fracos a marcar. Isso faz com que se feche os mapas em menos tempo. Existiu também uma grande evolução em termos de jogo de pombos.

 

Qual o papel das fêmeas na reprodução? Acha-as superior aos machos?

 

Sem sombra de dúvidas uma boa questão. Realmente tenho ao longo da minha vida tido grandes reprodutoras como a Sissi e a Sister Good Yeraling, New sissi e elas foram decisivas para o sucesso que tenho hoje. Contudo quando compro algum reprodutor e isso acontece de 2 em 2 anos invisto sobretudo num macho visto que é mais rápido a saber se é Bom ou não como reprodutor. Ultimamente os meus clientes têem pedido sobretudo para enviar-lhes fêmeas.

 

O que procura quando compra pombos? Quais as características?

 

Compro pombos sobretudo em zonas de forte competição. Onde muitos columbófilos enviam poucos pombos ( encestam o melhor que tem).

Escolho columbófilos que marcam muito bem mas que são desconhecidos e com pombais pequenos. Um pombal pequeno significa poucos pombos logo obriga a uma forte selecção.

Nunca compro pombos velhos, a não ser que se trate do crack. Escolho sempre borrachos e de preferência da 3 postura ( 2 primeiras o columbófilo utiliza para a competição).

Pombos têem de ser  de uma família de vendedores onde irmãos e irmãs marquem também.

Pombos na mão têem de dar a sensação de uma canoa.

Nunca compro pombos Grandes. O meu tipo de pombo aponta para o médio / pequeno.

 

Após uma análise dos pedigrees constatei que tem muitos pombos belgas na sua base. Qual a explicação para isso?

 

A razão é simples. Vivo a poucos Kms da fronteira com a Bélgica. Depois sigo a máxima do Jan Grondelaers de comprar pombos de grandes velocistas. E os melhores existem na  região perto da fronteira onde eu vivo. Comprando pombos a velocistas sendo eu um Meio Fundista podem vocês achar estranho? Mas não é de todo. O pombo de velocidade pura é o pombo que melhor se orienta, por outras palavras é o pombo que escolhe o caminho mais rápido para casa. Que me interessa ter um pombo que voe muito rápido se este for pelo caminho errado? O que eu procuro são pombos com carácter, capacidade de orientação acima da media, inteligência, estamina e com grande capacidade de defesa do seu território. Esses encontro na Bélgica. Não esquecer que a região que estou a falar é onde vivem os Janssen, o Meulemans, Ceulemans, Huyskens van Riel, Hofkens, Van den Bosch…. 

 

Qual a razão para quando passamos a fronteira todas as pessoas têem pombos Janssen e na Bélgica raramente vemos o nome dos Janssen nos pedigrees?

 

Os Holandeses são melhores para o negócio que os Belgas. Outra explicação deve-se ao facto de o Klak , Van der Flaes e o Van Boxtel terem sido uma sucursal Janssen na Holanda, contribuindo para a disseminação do pombo Janssen pela Holanda em larga escala.

 

Acha que os pombos estrangeiros tem sucesso em Portugal?

 

Nunca pensei que Portugal tivesse tantas montanhas e vales. Acredito que vocês aqui tiveram de desenvolver um pombo super resistente uma vez que tem de voar nestas condições. O meu conselho é que devem cruzar os pombos que trazem, com a vossa linha original, adaptada ao vosso clima e condições geográficas. Mas desde já lhes digo que nem todos vão ser bem sucedidos aqui.

Com estas condições existem columbófilos que só são Bons columbófilos porque estão melhor posicionados que outros na entrada dos pombos. Isto explica-se porque segundo certos estudos os pombos cruzam os rios e contornam montanhas em determinados sítios específicos onde a distancia das margens é mais curta ou onde o cume é mais baixo, etc…ficando claramente em vantagem em relação aos outros…

 

O Peter van de Merwe e o Cees Bosua são claramente beneficiados a quando da entrada dos pombos, visto que o rio afunila precisamente na zona onde eles vivem e é ai que os pombos cruzam o rio. Mas eles já lá viviam e não deixam de ser por isso grandes Campeões. Simplesmente estudos indicam que isto acontece.

 

Uma vez que em Portugal voamos Velocidade, Meio Fundo e Fundo, acha possível tirar a mesma rentabilidade do que um especialista?

 

Não sei responder a essa pergunta, uma vez que nunca voei nesse sistema. Contudo penso que o vosso sistema é como na Alemanha onde se voa as 3 categorias e vai aumentando progressivamente.

Um especialista está em clara vantagem na minha opinião.

 

Pedro acrescenta: Isso até podia resultar se não se fizeresse Fundo e Velocidade na mesma semana como tem acontecido e ao que eu acho um verdadeiro disparate. Quanto muito encestávamos no mesmo dia para um Meio-Fundo. Agora fazer Velocidade e Fundo na mesma semana. Acho ridículo.

 

O que acha do uso da cortizona nos pombos. Existem amadores em Portugal a utilizar e como tal isso não é fiscalizado pela Federação Portuguesa de Columbofilia?

 

Durante anos utilizou-se a cortisona para parar a muda dos borrachos, permitindo assim voar até mais tarde (finais de Setembro). Isso não faz sentido nos dias de hoje porque se utiliza o Sistema da Luz controlada ou Sistema da Escuridão. Está provado que a cortisona dá cabo do sistema imunitário dos pombos ficando estes mais fragilizados no que diz respeito à resistência a doenças. Afecta também a capacidade reprodutiva ( fêmeas e machos inférteis  mais cedo).

Na minha opinião quem dá cortisona, está a enganar-se a si próprio e está a dar cabo dos pombos.

 

O que acha da utilização do Sistema da Escuridão em pombos de Fundo?

 

O sistema da luz controlada permite fazer uma melhor gestão da muda a quando do encestamento nos meses de Junho, Julho e Agosto em especial no Grande Fundo.

Ao desregular o sistema do pombo correio através da luz controlada atrasamos a muda e conseguimos também atrasar o sentido de acasalar. Atrasamos a primavera e provocamos uma expulsão de hormonas mais tarde na época desportiva. Contribuindo assim para um super forma em determinada altura escolhida pelo columbófilo.

 

Ad Schaerlaeckens com os promotores do " I Derby de Columbófilia " Cartaxo - Capital do Vinho

ExpoRainha 2008