José Carlos Almeida Rosa

 ReportagensVisitas: Contador de Visitas 
CENTRO COLUMBÓFILO DE ARAZEDE INAUGURA POMBAL COMUNITÁRIO !!! 19-09-2009

Arazede criou pombal
pioneiro a nível nacional

POMBAL COMUNITÁRIO !!!

A ideia é completamente inovadora, pois o pombal de Arazede já se tornou uma referência, criando “apetite” em columbófilos de toda a região e também do país. Todavia, a experiência vai funcionar, pelos menos numa primeira fase, de acordo com o presidente do Centro Columbófilo Arazedense, “limitada” aos associados da colectividade.

José Veríssimo, Presidente do Centro Columbófilo Arazedense, visivelmente satisfeito, agradeceu a todas as entidades "que permitiram dar corpo a esta iniciativa", explicando a importância deste pombal e a ideia “revolucionária” que a anima, e que certamente vai marcar o início de uma nova era relativamente à columbófilia, na esperança que "com esta infra-estrutura possamos conquistar mais adeptos para a modalidade"

O projecto de criação do pombal, instalado no recinto da feira, procura criar uma nova dinâmica à modalidade, porque o pombal funciona como um espaço colectivo, onde diferentes criadores colocam os seus pombos, garantindo a preparação das aves para as diferentes provas, ou seja, a sua participação nos campeonatos locais, distritais e nacionais.

De acordo com José Veríssimo, há algumas (poucas) experiências a nível nacional relativamente a este género de pombal, mas únicamente com o objectivo de preparar uma só prova final (os derbys). A diferença e carácter pioneiro do projecto desenvolvido em Arazede está precisamente neste leque mais alargado relativamente a competições.

«Desta forma, acreditamos conseguir recuperar muitos sócios, que têm estado parados pelos mais diverso motivos, mas fundamentalmente porque não têm espaço ou não têm tempo», afirma o presidente da colectividade. E a adesão tem sido francamente boa, no entender daquele responsável, uma vez que neste momento já aderiram a este pombal colectivo 18 sócios, o que representa 64 pombos. A capacidade do pombal não suporta, de resto, muito mais adesões, uma vez que foi concebido para «ir até aos 75 pombos», adianta José Veríssimo. Tais “limitações”, bem como o facto de se tratar de uma experiência inovadora que poderia ou não motivar a adesão dos amantes da columbofilia, levou a direcção do Centro Columbófilo de Arazede a limitar o pombal aos associados do clube. Todavia, a ideia tem “passado” e já foram vários os criadores, dos mais diversos pontos do país, que “bateram à porta” da colectividade manifestando o seu interesse em se associar ao projecto.


Novo projecto para o ano
Um dado relevante é, aliás, na “adesão” da Federação Portuguesa de Columbofilia ao projecto e que leva o Centro Columbófilo Arazedense a pensar em «para o ano, eventualmente, avançar com a construção de mais um pombal».

O pombal, cuja ideia já há muito estava na mente e nos objectivos do Centro Columbófilo Arazedense, foi construído no Largo da Feira, num terreno com 20 mil metros quadrados cedido pela Junta de Freguesia e as obras de construção tiveram início imediatamente depois das Festas de 15 de Agosto, implicando um investimento, de acordo com José Veríssimo, «superior a três mil euros».

Relativamente ao tratamento e assistência das aves, aquele responsável esclarece que o Centro Columbófilo celebrou um protocolo com a Junta de Freguesia de Arazede, de acordo com o qual a autarquia disponibiliza uma pessoa, uma hora pró dia, no sentido de garantir o tratamento dos pombos. Diligência esta que é completada com a passagem, todos os dias, de um elemento da direcção da colectividade pelo pombal, que também conta com o apoio de um médico veterinário.

Satisfeito com a receptividade com que este projecto foi recebido, José Veríssimo acredita que se trata de uma ideia que pode “ganhar asas” em diversos locais do país, garantindo uma resposta eficaz a columbófilos que praticamente já não se encontram no activo, o que, adianta ainda, irá contribuir para «revitalizar a modalidade».


Cerimónia de inauguração
A cerimónia de inauguração marcada para as 12h30, contou com a presença de várias entidades, nomeadamente os presidentes da Câmara de Montemor-o-Velho (Luís Leal), da Junta de Freguesia de Arazede (Aurélio Rocha), da Federação Portuguesa de Columbófila (José Tereso) e da Associação Columbófila do Distrito de Coimbra.
 
O Presidente da FPC (José Tereso) sublinhou que "este primeiro pombal comunitário é um projecto com futuro", salientando que "é preciso ter novas ideias e modernizar a prática deste desporto, sendo esta uma ideia que "honra a Columbófilia Nacional".
 
O Presidente da CM Montemor-o-Velho (Luís Leal) enalteceu a iniciativa, deixando palavras de apreço à colectividade e aos columbófilos, lançando ainda o desafio para "que este espaço comunitário possa vir também a ser usado para iniciativas pedagógicas direccionadas para a comunidade escolar".
 
O Presidente da Junta de Freguesia de Arazede (Aurélio Rocha) referiu que "ao cedermos este espaço, foi dado o primeiro passo para que, no futuro, o recinto da feira possa vir a ter outra dinâmica".

O pároco da freguesia celebrou a cerimónia  do baptismo da estrutura columbófila, onde se seguiu um almoço de confraternização com todos os presentes.
 
Fundado em 1970, o Centro Columbófilo Arazedense tem, actualmente, cerca de 100 sócios.