ArtigosVisitas: Contador de Visitas 
A Muda 15-10-2012

Regra Geral

 

Pessoalmente não tenho muito interesse em saber quantas sementes possui um lote de alimentação ou a sua diversidade, embora seja também importante o balanço e o equilíbrio da ração, o factor em que devemos ter especial cuidado é no seu teor de Prótidos ou seja teor em Proteínas. Este valor deve estar compreendido entre 15 e 18%.

 

E isto porque?

 

Como nós sabemos as proteínas são constituídas por aminoácidos, aminoácidos esses que são constituídos por quatro elementos essenciais tais como o Azoto, o Hidrogénio, o Enxofre e o meu preferido, o Carbono.

Algo que não sabemos, ou pelo menos a maior parte dos Senhores Columbófilos é o que elas fazem tanto nos animais, como nas pessoas e até nos vegetais, as proteínas são as responsáveis pelo transporte celular dos ácidos gordos, do oxigénio (é uma proteína de estrutura quaternária presente nos glóbulos vermelhos que “agarra” o oxigénio e o conduz), sais minerais como o Fósforo, Cálcio, Ferro (por osmose).

 

Osmose é um processo físico-químico relativo ao movimento de água entre meios com diferentes concentrações de solutos como a Glicose, Sódio, Cálcio, Ferro, Fósforo, etc.

 

A base da elaboração da matéria viva é sem dúvida a Proteína.

 

Esta reside nos nossos músculos em 25% sendo praticamente o restante H2O ou seja, água.

 

As penas são constituídas por Queratina.

 

Esta Proteína secundaria de forma tridimensional é constituída por somente 19 aminoácidos, ou seja, falando por muito alto, com 19 aminoácidos uma pena ganha a sua forma e cor.

 

Analna; Valina; Isoleucina; Serina; Treonina; Leucina; Finilanina; Tirosina; Triptofano; Prolina; Ácido Aspártico; Ácido Glutamico; Glicina; Lisina; Argina; Metionina; Cistina; Histidina.

 

Todos estes, à excepção de um ou outro, estão presentes numa simples Levedura de Cerveja.

 

A conhecida “caspa” dos pombos presente no externo deve-se muitas vezes ao excesso de Proteína ou pombos mal asseados, assim como pode ser indicador de problemas parasitários.

 

Em todos os ser vivos a ingestão excessiva de Proteínas, Hidratos de Carbono ou Lipidos pode ser e é em mais parte dos casos muito prejudicial.

O tão falado excesso de peso é devido a uma alimentação desregulada ultrapassando assim as necessidades do ser vivo e armazenando todos os excessos, daí eu ter referido anteriormente que numa ração com os valores correctos de Prótidos as 30 gr diárias são mais do que necessárias.

Recomendo também, uma vez na semana somente, uma dia de ração de Dieta aos pombos, a fim de os depurar.

 

Existem centenas de métodos para realizar uma boa muda, não digo óptima, pois no meu entender, os suplementos incidem só em 20% da realização da boa muda, nos restantes 80% enquadram-se a Saúde, a Higiene, a correcta alimentação e a boa educação de Pombos Adultos e Borrachos do Ano.

 

As penas, com o tempo, começam a perder o brilho e a sua resistência devido ao esforço e às diversas oscilações climatéricas, necessitando assim de serrem mudadas.

É um processo normal biológico da vida do Pombo, inteiramente relacionado com hormonas produzidas pelo mesmo.

 

A Grande Muda ocorre todos os anos, se o clima for quente esta ocorre mais rapidamente, ou seja, acabará também mais rápido.

 

Uma alimentação equilibrada, rica em cálcio e ferro, e um complexo vitamínico rico em aminoácidos é recomendado para ultrapassar esta fase com sucesso, não podendo faltar também o Fósforo Orgânico para contrabalançar os níveis de cálcio, o Fósforo Orgânico é obtido sobre a forma de Glicerofosfato de Sódio encontrado em diversos produtos para Pombos.

 

Para iniciar o tratamento para a Muda em primeiro lugar recomendo ao Senhor Columbófilo a fazer um check-up geral à sua colónia, ou seja, à saúde dos seus pombos, a fim de verificar se existe algum problema patogénico com os mesmos.

 

A Campanha começa agora…

 

Para monitorizar as infecções basta contactar um especialista que colhendo um pouco de muco do papo, narinas e fezes faz perfeitamente o despiste visualizando microscopicamente.

 

Em outros casos por meio de cultura agar ou PCR.

 

O rastreio deve ser feito todas as 3 semanas.

 

Havendo algum problema primeiro tentamos resolver com alternativas químico / naturais e em casos extremos e de difícil resolução administramos outros produtos à base de antibióticos ou anti-parasitários.

 

Como tudo mesmo os produtos naturais não devemos exceder as doses nem abusar deles, visto que em doses elevadas podem ser altamente tóxicos e levar á interrupção da Muda aparecendo assim penas marcadas ou de sangue que 95% das vezes nada tem a ver com a utilização de antibióticos / anti-parasitários ou voo excessivo nesta altura do ano.

 

Fernando Santos

Alimentação - Velocidade e Meio-fundo 27-02-2012

Caros Columbófilos,

Para provas de Velocidade e Meio-fundo, até 450 km's.

No dia de chegada, e á hora de chegada administramos só ração depurativa, á noite 75% de depurativa e 25% de sport;

Segunda-feira - Comem depurativa todo o dia na dose de 30 gr por pombo (15 de manha e 15 de tarde);

Terça-feira - Comem depurativa todo o dia na dose de 35 gr por pombo (15 de manha e 20 de tarde);

Quarta-feira - Da parte da manhã comem uma mistura de 50% de depurativa e 50% de sport na dose de 15 gr por pombo. Á tarde comem 20 gr de sport;

Quinta-feira - Comem sport todo o dia na dose de 40 gr por pombo (20 de manha e 20 de tarde);

Sexta-feira - Da parte da manhã comem 20 gr de sport e á noite comem á vontade.

Encestamento - Comem o mais cedo possivel, 10 gr de ração sport de preferência sem os feverois pois a sua digestão é mais dificil e juntamos 8 gr de guloseimas por pombo para aumentar o teor em gordura.

Os pombos devem voar 3ª, 4ª, 5ª e na 6ª 30 minutos de manha e 35 minutos de tarde.

Infecção por E.coli 23-11-2011

INFECÇÃO POR E COLI (COLIBACILOSE)

Colibacilose é o nome que se dá a patologia causada pela bactéria Escherichia coli, mais conhecida por E.coli.

Esta bactéria é encontrada na flora intestinal de humanos e da maior parte dos animais, mas algumas estirpes desta bactéria podem ser fatais para os pombos-correios, existindo milhares de estirpes de E.coli.

TRANSMISSÃO

Normalmente a transmissão desta bactéria é causada pelo alimento, nomeadamente sementes contaminadas devido a falta de higiene ou a estarem mal acondicionadas, pela água de bebida e ainda por contacto directo com fezes contaminadas com o agente.

Um grande foco de infecção são os cestos de transporte, pela sua falta de limpeza e desinfecção na maior parte dos casos. A limpeza nos sistemas de disposição de água de bebida e alimentação nas provas com mais de 2 dias é um factor fulcral neste aspecto.

Sementes de qualidade são um factor essencial no controle da doença.

Borrachos, pombos em stress, excesso de pombos no pombal, má higiene, dieta/alimentação de fraca qualidade e desregulada são factores que podem influenciar o desenrolar da patologia.

SINTOMAS

Na maioria dos casos ocorre:

·         Retenção de comida no papo;

·         Perda de apetite;

·         Vómito;

·         Perda de peso;

·         Sujidade em torno nas penas do rabo;

·         Desidratação derivada da diarreia;

·         Em certos casos o tracto respiratório também é afectado, sacos aéreos;

·         Na reprodução, má fecundidade dos ovos, ovos brancos;

·         Morte.

DIAGNOSTICO

O despiste da doença pode ser feito por meio de Cultura Agar Especifico ou por PCR – Reacção em Cadeia da Polimerase.

TRATAMENTO

Como a bactéria E. coli é um organismo gram-negativo, o antibiótico tem que ser específico para o tratamento. Outros tipos de antibióticos são específicos para organismos gram-positivos o que seria um erro a sua administração, pois só levaria o tratamento ao fracasso e piorar a situação dos pombos.

Alguns exemplos de antibióticos:

·         Enrofloxacina;

·         Trimetoprim;

·         Tetraciclina;

·         Amoxicilina.

No final do tratamento ter o especial cuidado de administrar aos pombos suplementos probióticos na água de bebida ou junto com a alimentação para regular novamente a flora intestinal, pois os antibióticos de largo espectro como os referidos eliminam as más bactérias mas como consequente as boas também.

 

Cumprimentos,

FERNANDO SANTOS TÉCNICO ESPECIALISTA
Telf.: +351 963 183 242

http://www.fernandosantos.loftgest.com/

@mail: vet.fernando@sapo.pt

Emprego de Ácidos 31-10-2011
EMPREGO DE ÁCIDOS

 

Uma das maneiras do intestino se proteger da doença é através da obtenção de um ambiente ácido. Muitas das bactérias normais presentes, tais como Lactobacillus produzem ácido láctico.

Com o stress os Lactobacillus são uma das primeiras bactérias a desaparecer e assim a produção do ácido diminui o que resulta um pH menos ácido do intestino.

Potencialmente organismos que causam doenças tais como Escherichia coli, Salmonelas e fungos não sobrevivem bem num ambiente ácido e assim a perda desse ambiente ácido cria uma janela de oportunidade para que estes estabeleçam e se multipliquem.

Tudo o que restabelece o ambiente normal / ácido rapidamente, minimiza as chançes de doenças. Uma maneira de fazer isso é através da adição de ácidos à água potável dos seus pombos. Inicialmente isso pode parecer um pouco estranho, porém, se feito correctamente, pode ser vantajoso.

Existem doses disponíveis para ácidos como o ácido clorídrico, no entanto, como estes ácidos podem ser muito perigosos a sua utilização não é incentivada. Existem dois ácidos comuns usados. Um é o ácido acético. Isto está disponível como o vinagre de cidra de maçã onde pode ser comprado num supermercado local e a sua dose é de 5 ml por litro. Alternativamente, o ácido cítrico pode ser utilizado.

É interessante que muitos dos livros mais antigos de pombos recomendam o uso de ácidos e sugerem espremer o suco de um limão ou adicionar outras fontes de ácido cítrico no bebedouro dos seus pombos. Alguns segredos antigos ainda funcionam bem hoje em dia.

Usado correctamente, os ácidos não fazem mal nenhum aos seus pombos antes pelo contrário só lhes fazem bem. Os columbófilos podem usa-lo de várias maneiras. Ou para tratar as aves quando são diagnosticadas bactérias E.coli ou “candidíase ” (leveduras), onde são uma maneira prática de controlar uma infecção leve, sem recorrer a antibióticos. Pode utilizar na água por um ou dois dias por semana como parte de um programa contínuo de gestão da saúde.

Além disso columbófilos com experiência dizem que após stress, períodos de clima frio húmido num pombal aberto quando essas condições ocorrem, eles podem colocar o ácido na água por um ou mais dias porque é previsível o aparecimento de leveduras ou outros problemas de intestino.
Com infecções leves de leveduras ou transtornos intestinais bacterianas o uso de ácidos, muitas vezes resulta na produção de fezes redondas, consistentes de cor acastanhada com odor reduzido.

São todos os indicadores de saúde. A ausência destes indicadores podem ser um problema mais sério e a assistência veterinária pode ser necessária.

por Dr. Rob Marshall

 

(A todos os columbófilos, achei importante o conteúdo, procedi assim à sua tradução)

Cumprimentos,

FERNANDO SANTOS TÉCNICO ESPECIALISTA
Telf.: +351 963 183 242

http://www.fernandosantos.loftgest.com/

@mail: vet.fernando@sapo.pt

Ascaridia Columbae 19-10-2011
Ascaridia Columbae

Bem conhecida pela maioria dos columbófilos como lombriga ou bicha, este parasita (nemátode) é visto ocasionalmente nos excrementos do seguimento da rotina de desparasitação.

É o único Ascarídeo que habita nos Pombos.

 

Ciclo de Vida

O ciclo de vida é directo. O verme adulto põe ovos numerosos que são passados pelas fezes e dependendo do calor e humidade, passam por um processo de maturação de pelo menos duas semanas.

Depois do processo de maturação estar completo os ovos tornam-se um foco de infecção e se forem ingeridos através de comida ou água contaminada vão libertar as suas larvas dentro do intestino.

As larvas penetram o epitélio de revestimento intestinal e permanecem na parede intestinal aproximadamente 10 a 14 dias, depois disso retomam ao lúmen do intestino. Os ovos aparecem nas fezes dos pombos 37 a 42 dias após a infecção.

 

Patogenicidade

As larvas nutrem-se das vitaminas e minerais, resultantes da digestão dos alimentos do sustento do pombo como consequente irritam a mucosa intestinal produzindo resíduos tóxicos ao organismo da ave.

A quantidade de danos que podem causar é directamente proporcional com o número de habitantes no intestino.

A infecção nos borrachos pode causar obstrução intestinal, danos no fígado e a morte.

 

Sintomas

Baixa de condição é visível em todos os pombos, nos borrachos pode ocorrer mesmo a morte. Os pombos normalmente têm vómitos e em alguns casos é visível fragmentos de sangue nas fezes. Os pombos velhos estão mais resistentes à doença mas ficam mais susceptíveis a contágios com novas doenças.

 

Tratamento e Controlo

Produtos que contenham Levamisol e Ivermectina são os mais indicados. Uma posologia regular e uma boa higiene mantém a doença controlada embora seja bastante difícil a sua erradicação total.

 

Para tratamento podemos utilizar a seguinte profilaxia:

 

Durante 2 dias seguidos na água de bebida Levamisol ou Tetramisol seguidamente de uma toma de 2 dias, 14 dias após a primeira vez, para eliminar a segunda geração dos novos Ascaridia Columbae (ver o ciclo de vida).

 

 

Cumprimentos,

FERNANDO SANTOS TÉCNICO ESPECIALISTA
Telf.: +351 963 183 242

http://www.fernandosantos.loftgest.com/

@mail: vet.fernando@sapo.pt

A Cevada! 22-02-2011

Caros Columbófilos,

A Cevada, como todos nós sabemos  deve ser utilizada com fins dieteticos, principalmente no caso de enterites.

A Cevada é pobre em gordura, fornece aos pombos muitos minerais essenciais, vitamina E, algumas vitaminas do complexo B, e beta-glucans, que são importantes para o corpo dos pombos e do seu sistema imunitário.

Os componentes nutricionais da Cevada, como prebióticos, ajudam a multiplicação das bactérias boas do intestino.

A Coccidiose por vezes é desenvolvida pela má alimentação. Uma má dieta causa inflamações intestinais, deste modo a coccidiose pode proliferar e piorar a inflamação. Se, neste caso administrarmos Cevada aos pombos as suas substâncias podem reduzir a inflamação eliminando a causa inicial da inflamação por Coccidiose.

A dieta com Cevada pode, em teoria, reduzir a inflamação do intestino assim como a coccidiose.

Se administrarmos aos Pombos só Cevada durante alguns dias, é aconselhavel administrar juntamente um complexo Vitaminico, pois a Cevada é pobre em vitamina A.

Uma vitamina A soluvel em água só consegue ser absorvida pelo intestino quando a ração é rica em gordura, mas como a cevada é pobre em vitamina A nós não devemos suplementar por via oral , porque a vitamina A nesta forma é só efectiva se a gordura e oleos estão presentes no conteudo intestinal, que ajuda a absorção.

Por esta razão se um Pombo durante alguns dias só for alimentado com Cevada, sempre que administrar um completo vitaminico deve juntar á ração algum oleo.

Outro grande problema é que varios tipos de doenças são causadas pelo factor stress. Os Pombos não são muito admiradores da Cevada, se os alimentarmos 100% com Cevada corremos o risco sério de desenvolvermos uma situação de stress, que pode ser evitada se juntarmos à Cevada uns 40% de Arroz sem casca.

Tabler

Emprego de Ácidos 26-10-2010

EMPREGO DE ÁCIDOS

 

Uma das maneiras do intestino se proteger da doença é através da obtenção de um ambiente ácido. Muitas das bactérias normais presentes, tais como Lactobacillus produzem ácido láctico.

Com o stress os Lactobacillus são uma das primeiras bactérias a desaparecer e assim a produção do ácido diminui o que resulta um pH menos ácido do intestino.

Potencialmente organismos que causam doenças tais como Escherichia coli, Salmonelas e fungos não sobrevivem bem num ambiente ácido e assim a perda desse ambiente ácido cria uma janela de oportunidade para que estes estabeleçam e se multipliquem.

Tudo o que restabelece o ambiente normal / ácido rapidamente, minimiza as chançes de doenças. Uma maneira de fazer isso é através da adição de ácidos à água potável dos seus pombos. Inicialmente isso pode parecer um pouco estranho, porém, se feito correctamente, pode ser vantajoso.

Existem doses disponíveis para ácidos como o ácido clorídrico, no entanto, como estes ácidos podem ser muito perigosos a sua utilização não é incentivada. Existem dois ácidos comuns usados. Um é o ácido acético. Isto está disponível como o vinagre de cidra de maçã onde pode ser comprado num supermercado local e a sua dose é de 5 ml por litro. Alternativamente, o ácido cítrico pode ser utilizado.

É interessante que muitos dos livros mais antigos de pombos recomendam o uso de ácidos e sugerem espremer o suco de um limão ou adicionar outras fontes de ácido cítrico no bebedouro dos seus pombos. Alguns segredos antigos ainda funcionam bem hoje em dia.

Usado correctamente, os ácidos não fazem mal nenhum aos seus pombos antes pelo contrário só lhes fazem bem. Os columbófilos podem usa-lo de várias maneiras. Ou para tratar as aves quando são diagnosticadas bactérias E.coli ou “candidíase ” (leveduras), onde são uma maneira prática de controlar uma infecção leve, sem recorrer a antibióticos. Pode utilizar na água por um ou dois dias por semana como parte de um programa contínuo de gestão da saúde.

Além disso columbófilos com experiência dizem que após stress, períodos de clima frio húmido num pombal aberto quando essas condições ocorrem, eles podem colocar o ácido na água por um ou mais dias porque é previsível o aparecimento de leveduras ou outros problemas de intestino.
Com infecções leves de leveduras ou transtornos intestinais bacterianas o uso de ácidos, muitas vezes resulta na produção de fezes redondas, consistentes de cor acastanhada com odor reduzido.

São todos os indicadores de saúde. A ausência destes indicadores podem ser um problema mais sério e a assistência veterinária pode ser necessária.

por Dr. Rob Marshall

 

(A todos os columbófilos, achei importante o conteúdo, procedi assim à sua tradução)

Cumprimentos,

FERNANDO SANTOS TÉCNICO ESPECIALISTA
Telf.: +351 963 183 242

http://www.fernandosantos.loftgest.com/

@mail: vet.fernando@sapo.pt

Controle de Temperatura e Humidade 20-10-2010

Para os seus pombos não perderem a forma, a temperatura no seu pombal deve estar acima de 10 e abaixo dos 30 graus Célsius, e a humidade mantida abaixo de 65%. Estas são as condições que favorecem a saúde contínua e conhecida como a zona termo-neutra para o pombo.
Na maioria dos pombais, é a humidade, mais do que a temperatura, que influencia a forma dos seus pombos. Humidade mede a quantidade de humidade no ar, independentemente da temperatura do ar, mas é a humidade elevada (superior a 65%) associado a uma temperatura abaixo de 15 graus Célsius que mais afecta a capacidade dos pombos descansarem. O pombo perde a forma e se torna-se susceptível às doenças, quando não têm o repouso adequado.
As fezes no pombal são a melhor indicação dos níveis de humidade. Num pombal saudável, uma baixa humidade (inferior a 55%) apresenta-se fezes castanhas e consistentes enquanto uma maior humidade (superior a 65%) irá produzir fezes aquosas e verdes. À noite, quando os pombos precisam de descansar, há sempre um aumento na humidade, porque quando a temperatura cai a humidade aumenta. Isto explica as fezes líquidas e verdes na manhã após uma noite fria e húmida, mas que viram castanhas e consistentes durante o dia sempre que a temperatura aumenta. Não há dois pombais, mesmo se eles são idênticos, terão  o mesmo nível de humidade, pois a humidade dentro do pombal está directamente relacionada com a humidade fora do pombal. O factor de controlo de humidade é a localização (ou região) do pombal. A única diferença é a localização do pombal.

Alto risco humidade:
Pombais perto da água (mar, lagos, rios, canais, canais de drenagem, piscinas de natação).
Pombais adjacentes às grandes áreas baixas abertas (áreas gramadas, áreas de nevoeiro).
Pombais sem sol para secar o chão (debaixo de árvores, nos vales, no lado errado do morro, há sol até o final da tarde).
Pombais em áreas de alta pluviosidade.

Estes pombais exigem um design para que a humidade externa não entre.

O isolamento é o primeiro passo para controlar flutuações de temperatura e alta humidade no interior do pombal. É a humidade gotas de condensação que aparecem no interior das paredes e tectos não isolados, que aumentam a humidade dentro do pombal para níveis muito elevados que predispõem os pombos a doenças respiratórias e inquietação. O isolamento das paredes e do tecto vai parar essa condensação e permitem o controlo de doenças respiratórias com o mínimo uso de medicamentos.

Em áreas com humidade alta, fechar o pombal até à noite ou quando está a chover é um bom método de controlar a humidade dentro do pombal (persianas são muito usadas), mas a circulação do ar e da qualidade do ar dentro do pombal não devem ser comprometidos. Muito frequentemente, o pombal é completamente fechado, sem pensar sobre a circulação de ar.
Aquecedor a noite é benéfico para os seus pombos. Os seus pombos continuam em plena forma quando o pombal está fechado à noite, mantendo-o quente e seco. No entanto, é melhor ter um pombal muito aberto sem correntes de ar para recuperação de doenças respiratórias para evitar germes acumulados no interior do pombal e de infectar outros pombos.
Aquecedores de barra à base de óleo são seguros e eficazes para usar quando a temperatura cai abaixo de 12 graus Célsius e são usados para evitar a perda de forma, mantendo o ar seco. Desumidificadores também estão disponíveis, mas o ruído pode impedir que os seus pombos do repousem bem.
Higrómetros podem ser instalados para monitorizar a humidade dentro do pombal, mas muitas vezes os sais na areia ou pó mineral são igualmente eficazes no controlo de humidade superior a 65%. Estes sais de atrair a humidade. Podemos também utilizar areia de sílica (areia utilizada para gatos) no chão dos seus pombais.

por Dr. Rob Marshall

Traduzido e Editado por Columbotécnica.com

www.columbotecnica.com

A Coccidiose! 13-07-2010

Caros Columbófilos,

Publico hoje o artigo que saiu na "Newsletter Columbotécnica" na segunda quinzena do passado mês de Junho.

Eimeria é o tipo de protozoários que causam a doença, Coccidiose.

 

É uma das doenças, senão a principal doença que mais despisto em pombos-correios.

 

Para além de a doença causar outros tipos de doenças como Enterites causa também uma má digestão dos alimentos diminuindo assim drasticamente a absorção de nutrientes pelo intestino.

 

Alguns dos principais sintomas dos Pombos quando a doença está presente são a perda de peso considerável (o pombo não enche), fezes líquidas e viscosas, perda de Pombos nas provas e o mal desenvolvimento dos Borrachos.

 

A doença é contagiada através do contacto com as fezes, principal atenção para os columbófilos que alimentam os Pombos em tabuleiros mal limpos, na própria ração se estiver contaminada e na água de bebida.

 

A Coccidiose mantém-se “viva” nas fezes dos pombais mal limpos até 1 ano ou seja 365 dias.

 

Para controlar a doença a nível externo basta diluir 1kg de Sal de Cozinha em um balde de água e de 15 em 15 dias humedecer o chão, ninhos e poleiros do Pombal.

 

Para monitorizar a infecção basta  contactar um Especialista que colhendo um pouco de fezes frescas dos poleiros do Pombal faz o rastreio da doença.

 

O rastreio deve ser feito todos os 15 dias.

 

Quando há presença de Coccidiose os pombos podem ser tratados eficazmente com duas doses de 3ml por litro de água de Solução de Toltrazuril.

 

Na campanha desportiva podemos utilizar o AVIZOL – CIC POMBOS nas 48h seguintes á chegada do concurso todas as 3 semanas, assim como o COXIBAN – ASAS DE PORTUGAL na mesma condição.

Para informações detalhadas acerca destes produtos entrar em contacto com:

  • ASAS DE PORTUGAL - Sr. Oscar Oliveira - 229530034 - 910298449
  • CIC POMBOS - Sr. Inácio Oliveira - 256912177 - 964130798

Na Muda da Pena o que recomendo vivamente é controlar a saúde dos seus pombos, pois o administrar antibiótico sem razão é prejudicial mas o pior é quando a doença está presente prejudicando assim a altura do ano mais critica da vida do Pombo-Correio.

 

Ovo de Coccidiose

 

Saudações Columbófilas,

 

Tracto Respiratório! 06-04-2010

Caros Columbófilos,

O tracto respiratório inclui as fossas nasais e nasofaringe, a orofaringe, a traqueia, brônquios, bronquíolos e alvéolos pulmonares.

O tracto respiratório, seja o inferior ou o superior, não tem condições para criar uma flora normal.

Isto deve-se ao facto de o muco produzido conter lisozima (componente com alta actividade antimicrobiana) assim como a actividade fagocítica dos fagócitos que aí habitam, o que faz com que constituam factores desfavoráveis à presença de bactérias.

Os fagócitos, em condições normais, "comem" rapidamente qualquer tipo de microrganismo que aí entre.

Os fagócitos são constituídos por Macrófagos, glóbulos brancos, que se encontram normalmente nos alvéolos pulmonares, constituindo uma forte defesa contra Bactérias Patogénicas inaladas pelo ar.

A flora das fossas nasais é constituída em grande parte por bactérias Staphylococcus aureus, e em menor número por Streptococcus pneumoniae e Haemophilus.

Um bom preventivo para as Vias Respiratórias pode ser desta maneira compilado colocando num recipiente os seguintes componentes:

    • 1 colher de chá de Tilfur (Zoopan);
    • 2 colheres de chá de Trichoplus (Oropharma);
    • 4 colheres de chá de Terramicina.
    • Misturar tudo muito bem, e da mistura final administrar uma colher de chá do produto por 20 pombos, na ração, previamente humedecida com óleos, uma a duas vezes no inicio da semana.

 

Saudações Columbófilas,

 

Características da Flora Normal. 15-03-2010

Caros Columbófilos,

A maior parte da flora normal do organismo reside no Intestino, constituída principalmente por Bactérias, fungos (leveduras) e protozoários em número muito inferior.

As bactérias tornam-se "habitantes" do organismo do pombo, competindo constantemente sobre todas as outras no organismo, mas para tal acontecer é necessário que possuam características que lhe facultem essa vantagem, características essas:

o   Substâncias antimicrobianas;

o   Sobrevivência;

o   Multiplicação.

Resumindo, conseguem sobreviver, sem causar qualquer dano protegendo desta maneira o organismo.

Todas as outras bactérias, oriundas das sementes, contágio com pombos infectados, água e outros quando invadem o organismo, e dele fazem a sua "casa", podendo causar doença ou não, são imediatamente eliminadas.

O número de leveduras e protozoários é muito inferior e nem sequer se considera os vírus, embora a sua presença em tecidos já tenha sido relatada.

Inúmeros tipos de Bactérias habitam o organismo em vários locais onde não causam qualquer dano sendo de certa forma até bastante benéfica a sua presença, mas podem causar doença quando mudam de local, por exemplo, do Intestino para as Vias Respiratórias, chamam-se Patogénios Oportunistas.

Quando a flora é perturbada há uma diminuição das resistências, então, as Bactérias Comensais tiram partido dessa baixa.

Administrem Probióticos que contenham Leveduras e Bactérias, ajuda MUITO ao equilíbrio da flora intestinal, fazendo com que haja saúde nos pombais.

Atenção, na FLORA DA CAVIDADE ORAL, ou seja, PAPO, habitam bactérias que pertencem ao género Streptococcus e Lactobacillus e também se encontram, sempre que a FLORA está NORMAL fungos, do tipo CANDIDA.

Desta forma eu sugiro a todos os Técnicos e Columbófilos para terem muito cuidado quando se faz um diagnóstico de CANDIDIASE no papo, pois é PERFEITAMENTE NORMAL encontra-las lá, vão aparecer sempre que os pombos estão em boas condições.

Tenham cuidado e não administrem, "ás cegas", antifungicos tipo "Micostatin", á base de Nistatina, pois só os vai tornar mais vulneráveis.

Clorexidina a meio da semana NUNCA, destroi completamente a Flora Oral.

Saudações Columbófilas,

 

Replente Orgânico. 09-03-2010

Caros Columbófilos,

Receita de repelente orgânico que funciona bem com a maioria dos Insectos Comuns.

Num recipiente junte os seguintes ingredientes:

    • 4 Pimentos Verdes;
    • 4 Dentes de Alho;
    • 4 Colheres de Sopa de Detergente Líquido;
    • 3 Copos de água.

Triture os Pimentos juntamente com o Alho até formar puré e misture com o Detergente e a Água até formar uma mistura homogenea, depois deixe macerar, ou repousar, durante 24 horas.

Passado 24 horas coe o puré e coloque o líquido num borrifador, tipo o borrifador dos limpa-vidros.

Borrife os cantos, as frinchas e até os ninhos do pombal, é muito eficaz e é orgânico.



Para os Borrachinhos durante o defeso todos os fins de semana faça o seguinte:

    • Triture no liquidificador uma Cebola e dois dentes de Alho, coe e borrife ligeiramente debaixo das asas.

Como nós sabemos é matéria Orgânica, não é 100% eficaz, mas é um método 100% Natural, sem risco e controla grande parte dos germes.

Ómega 3. 03-03-2010

Caros Columbófilos,

Como nós sabemos, existem grandes diferenças entre pombos-correio, uns que se adaptam melhor ao tempo quente e outros ao tempo frio. Os pombos que voam sob as altas temperaturas (28º a 40º) têm necessidade e óleos ómega 3.

O Ómega 3 é reconhecido como sendo um nutriente cardio-protector. Os efeitos cardio-protectores do ómega-3 devem-se, principalmente, a uma combinação de resultados nos seguintes parâmetros de risco à saúde cardiovascular:

  • diminuição de gordura no sangue;
  • prevenção da arritmia cardiaca;
  • diminuição da pressão sanguinea;
  • redução da agregação plaquetária;
  • aumento da fluidez do sangue.

Nós podemos encontrar o óleo ómega 3 nos derivados da linhaça, de peixe (figado de bacalhau e salmão), e noz/avelã.

O metabolismo também é diferente, os pombos não necessitam de produzir/consumir energia para produzir calor, o factor temperatura já os mantém quentes. É perfeitamente natural, e normal acontecer, os pombos nas alturas de mais calor começarem a deixar o milho ou comerem mais lentamente, pois o milho é uma fonte de calor.

Devemos ter em atenção também ao ácido prússico ou cianeto de hidrogénio, é um composto quimico que têm um forte cheiro amargo, este é encontrado em sementes (colza; cártamo; ervilhaca; linhaça) e devemos ter algum cuidado em alimentar demasiado com estas, pois o ácido em si devido á sua capacidade de se combinar com o ferro e a hemoglobina, bloqueia a recepção de oxigénio pelo sangue, o que pode causar uma pequena baixa de forma. 

O essencial é alimentar na altura dos concursos com uma ração BASE, por nós compilada, deste tipo:

  • Milho .......... 40 %           Proteína: 14,58 %     (11% e 14% para Concursos)
  • Ervilhas ....... 30 %           Lipidos: 2,65 %          (+ de 320 km's adicionar Guloseimas)
  • Trigo ........... 20 %           Hidratos de Carbono: 65,16 %
  • Sorgo .......... 10 %

Vamos então compilar um Óleo, rico em Ómega 3 para esta altura do ano, administrando pelo menos duas vezes na semana na dose de 1 colher de sopa por 1 kg de ração:

Num recipiente de 3 litros junte, mexendo bem os seguintes óleos:

  • Óleo de Figado de Bacalhau ou Óleo de Salmão ........... 1,5 litros;
  • Óleo de Linhaça ......................................................... 0,75 litros;
  • Óleo de Noz ou Avelã ................................................. 0,75 litros.

Experimente e faça a diferença!

Suplemento de Cálcio. 24-02-2010

Caros Columbófilos,

Experimente e faça a diferença!

Vá até a uma drogaria proximo de si e adquira os seguintes componentes:

  • Carbonato de Cálcio ........... 2 partes;
  • Gesso ................................ 1 parte;
  • 1 litro de água com 700 gr de sal de cozinha dissolvido.

Misture e amasse o gesso e o carbonato de cálcio com a água até formar uma massa tipo cimento, molde em forminhas e seque ao sol ou com num forno.

É um excelente suplemento para as criações e para a muda, se conseguir pode juntar uma parte de carvão vegetal em pó, os pombos devoram.

Sais Depurativos. 23-02-2010

Caros Columbófilos,

Para quem gosta de um bom depurativo!

Num recipiente junte, misturando muito bem:

  • Bicarbonato de sódio ......... 4 partes
  • Sulfato de sódio ................. 3 partes
  • Fosfato de sódio ................ 2 partes
  • Citrato de sódio ................. 1 parte

Administre aos pombos na dose de 1 colher de chá para 2 litros de água.

Este depurativo favorece a eliminação das toxinas e dos resíduos do organismo.

Os produtos podem ser adquiridos facilmente em qualquer farmácia.

Critérios para selecção de pombos voadores! 22-02-2010

Caros Columbófilos,

O critério de selecção de pombos voadores determina logo o sucesso na campanha desportiva.

A decisão de enviar um pombo a uma prova deve passar pela condição fisica do mesmo, não nos seus resultados anteriores, mas se reunirem estas duas condições, optimo, temos um bom voador.

Uma decisão mal tomada e podemos perder um bom voador. (ver figuras abaixo)

Para julgar o sucesso de uma campanha o columbófilo deve responder a estas perguntas:

  • menos problemas de doença, especialmente durante a campanha?
  • A percentagem de pombos a ganhar pontos em concursos está a crescer?
  • Perdeu menos pombos no final da campanha do que o habitual?
  • O rendimento aumentou?

Se as respostas são negativas então os pombos não devem estar na sua melhor condição fisica.

Se os pombos estão em baixo de forma não têm a suficiente resistência a doenças durante o transporte, geralmente estes pombos têm sempre problemas de saúde especialmente nas vias respiratórias.

O melhor momento para avaliar os pombos é imediatamente após a sua chegada de um concurso, a tempo de ver a velocidade com que recuperam do mesmo, quanto mais curto for este tempo, melhor.

Sinal forma baixa.

Sinal forma baixa. Falta de brilho e vitalidade nas penas.

Critérios para selecção de pombos reprodutores! 22-02-2010

Caros Columbófilos,

Teoricamente, os pombos-correios com melhor desempenho são os resultantes dos cruzamentos de sangues.

Para além de escolhermos um pombo mediante a sua capacidade de voo (velocidade, meio-fundo ou fundo) e até mesmo a sua descendência, temos que ter em especial atenção se ele é geneticamente predisposto à resistencia às doenças..

Reprodutores descendentes dos melhores sangues e cruzamentos, como geralmente são mais fortes e mais viáveis não quer dizer que criem bons pombos, embora estes com o melhor sangue temos que ter em consideração o que foi acima mencionado.

A qualidade da reprodução é determinada pelos seus exemplares, há varias importantes qualidades na selecção dos borrachos, estes têm que aparentar um excelente saúde a nível visual, fortes, e apresentarem uma certa resistência contra doenças infecto-contagiosas, os que não apresentarem estes sintomas devem ser imediatamente eliminados.

Vigor, inteligência e personalidade são de igual modo factores importantes.

Os borrachos devem ser criativos e devem interagir com o resto do bando, é outro factor muito importante.

Estes critérios são aplicados na mais tenra idade, começando com ovos. Ovos que se desenvolvem lentamente e borrachos que chocam tarde devem ser logo eliminados.

O crescimento, desenvolvimento e penas qualidade são características iniciais que podem ser utilizadas para avaliar os borrachos. Anormalidades físicas ou atraso no desenvolvimento físico são razões para eliminar logo o borracho, seja ele do melhor casal em causa.

Os borrachos devem estar preparados para voar ao final de 5 semanas, quando estes começam a voar em volta do pombal em bando é importante que se observe as diferenças entre eles no voo.

Exemplo de um ninho com fezes matinais sem sinal de stress durante a noite.

 

Exemplo de um ninho com fezes matinais com sinal de stress durante a noite.

Licor de Fowler! 22-02-2010

Ácido arsénico em solução hidroálcoolica utilizado internamente para o tratamento de febres intermitentes.

  • Ácido arsénico  H3AsO4                  1 g;
  • Carbonato de potássio  K2CO3     1 g;
  • Água destilada                                   95 ml;
  • Álcool                                                  5 g.

Introduzimos dentro da matraz a mistura de ácido arsénico e carbonato de potássio com a água até que fiquem totalmente dissolvidos.

Depois de misturar o álcool juntamos mais água até fazer 100 gr de solução!

No final filtramos com papel de filtro de laboratório e temos Licor de Fowler.

Administramos aos pombos 5 a 7 gotas por litro de água.

ATENÇÃO, o Licor de Fowler é muito PERIGOSO, o menor descuido pode aumentar o nímero de gotas e causar ENVENENAMENTO.

Segredos com o Alho! 22-02-2010

Caros Columbófilos,

Experimente e faça a diferença!

Óleo de Alho para fins medicinais, garanto, com experiência comprovada, que mais vale fazer em casa!

  • 200 gr de dentes de alho;
  • 400 gr de azeite virgem.

Deixe que o azeite absorva as propriedades do alho (macerado, ou seja, pisado tipo batata-á-murro) durante uma semana, agite o recipiente no minimo duas vezes ao dia. Ao fim de uma semana retire os dentes de alho e conserve no frigorifico.

Administre aos pombos á razão de uma colher de chá por kg de ração.

Tintura de Orégãos! 22-02-2010

Caros Columbófilos,

Já que o que está na "moda" agora são os Orégãos devido ás suas excelentes propriedades contra disturbios intestinais, aqui vai uma excelente receita de Tintura de Orégão:

  • 25 gr de folhas de Orégãos;
  • 100 ml de álcool de 70º.

Se não conseguir arranjar o álcool a 70º, faça o seguinte, junte 72,8 ml de Álcool a 96º com 100 ml de Água Destilada.

Depois de deixar de molho as folhas de oregão no álcool durante oito dias, filtre.

Admistramos aos pombos duas vezes na semana 30 gotas por litro de água.

Guloseimas! 21-02-2010

Caros Columbófilos,

Aqui vão alguns exemplos de guloseimas que pode fazer em casa para aumentar o teor de gordura ás rações tradicionais:

  • Alpista          3 kg
  • Milho alvo   3 kg
  • Linhaça        1 kg
  • Cânhamo     1 kg
  • Cártamo      2 kg


  • Alpista                                1 kg
  • Mistura para canários    1 kg
  • Massambala                     1 kg
  • Cártamo                            1 kg
  • Cânhamo                           1 kg
  • Mistura para piriquitos   1 kg

Quando os concursos são acima dos 320 kms, adicionar á ração base durante a semana uma colher de chá rasa por pombo de Guloseimas.

 

Nas provas de Velocidade e Meio-fundo os pombos no dia de encestamento de manhã devem comer 10 gr de ração Sport + 8 gr de Guloseimas. 

 

No regresso de um concurso deve dar aos pombos arroz s/casca vermelho pois é mais fácil a sua digestão e muito rico em carbohidratos.

Chá de Linhaça! 21-02-2010

Caros Columbófilos,

A linhaça é óptima dar sempre um pouco, pois é um protector da parede intestinal do pombo, e há quem dê uma bebida tipo chá durante a muda.

Em um litro de água a ferver, deitar 1 colher de sopa de sementes de linhaça (de ervanária pois vem limpa), deixar ferver lentamente (ou fogo lento) durante 5 a 10 minutos, depois retirar as sementes passado algum tempo não deixando ficar frio pois as sementes são dificeis de tirar do fundo da panela.

Ficará surpreendido com as novas penas dos pombos.

Este artigo não foi desenvolvido por mim, mas sim por outro grande ciêntista da columbófilia, publiquei porque de facto o chá é mesmo bom.

Desinfecção! 18-02-2010

Caros Columbófilos,

Pelo menos 4 a 5 vezes por ano deve fazer-se uma desinfecção a fundo ao pombal, eu recomendo do seguinte modo:

  • Raspam-se os poleiros, ninhos, chão, frinchas, resumindo, TUDO!
  • Lava-se tudo com água e sabão rosa (1 litro de água com 50 gramas de sabão rosa dissolvido);
  • Depois de seco borrifamos com água e creolina a 2%;
  • Fechamos os pombais (SEM OS POMBOS DENTRO), numa taça de vidro LARGA, juntamos 2 ml de Formol com 3 ml de água e a esta mistura adicionamos meia colher de CAFÉ de Permanganato de Potássio, que faz com que seja libertado vapores de Formol.

Nas fendas podemos utilizar a seguinte mistura:

  • Em 1 litro de água juntamos 50 gramas de sabão rosa dissolvido;
  • Na mistura adicionamos aos poucos 1 litro de petróleo mexendo sempre.
Para os que preferem fazer em casa. 18-02-2010

Caros Columbófilos,

Deixo aqui alguns exemplos de rações de criação para quem prefere fazer o trabalho de casa:

 

Para o Grite utilizamos:

    • 5 kg de areia grossa;
    • 5 kg de caliça triturada;
    • 3 kg de tijolo moído;
    • 3 kg de casca de ostra.

Mistura-se tudo muito bem para para lhe dar a maior homogeneidade possivel, levar a mistura ao forno a 200º durante 20 minutos, depois de frio colocar à disposição dos pombos.

Para o Bloco-Salgado dissolvemos 850 gramas de sal de cozinha num litro de água, misturam-se duas partes de gesso; uma parte de argila; uma parte de tijolo moído; uma parte de caliça triturada e amassa-se esta mistura até formar uns blocos, deixa-se secar ao tempo e depois levam-se ao forno a 200º durante 20 minutos, depois de frios colocam-se à disposição dos pombos.

Segredos com o Vinagre! 18-02-2010

Caros Columbófilos,

Experimente e faça a diferença!

Com esta receita garanto que não precisa de comprar nenhum óleo para humedecer a ração pois não há melhor do que isto:

  • Num recipiente de 500 ml junte 175 ml de Vinagre de Cidra com 175 ml de Óleo de Milho e misture;
  • Seguidamente junte 150 ml de Mel e mexa muito bem até formar uma mistura homogénea.

Conserve este tónico no frigorífico, agite sempre antes de usar e utilize para humedecer a ração, é óptimo.

Segredos com o Alho! 18-02-2010

Caros Columbófilos,

Experimente e faça a diferença!

Para as provas de Velocidade e Meio-Fundo, na Quarta-feira, dois dias antes do encestamento experimente fazer o seguinte:

  • Embeber 3 dentes de alho, descascados e partidos aos bocadinhos, em 3 colheres de sopa de mel durante 24h;
  • Passado 24h, retire os dentes de alho do mel, junte o sumo de meio limão e misture com uma colher;
  • Com a mistura feita bata uma gema de ovo e misture ao preparado mexendo até formar uma mistura homogénea.

De seguida vamos abrir o bico ao pombo e com uma cotonete vamos desinfectar muito levemente, +- na zona abaixo indicada e voilá, vamos para a prova com as gargantas desinfectadas e desobstruídas.

Nota: faça este procedimento de preferência à noite depois de alimentados.

Segredos com o Alho! 18-02-2010

Caros Columbófilos,

Experimente e faça a diferença!

Para as provas de Fundo, na Quarta-feira, dia antes do encestamento experimente descascar alguns dentes de alho, esmagar, até formar uma pasta homogénea e misturar com a mesma quantidade de vaselina.

De seguida vamos levantar as penas na zona abaixo indicada e untar muito levemente a pele com a mistura e voilá, vamos para o fundo com o peito do animal desongestionado.

O Crescimento dos Borrachos! 17-02-2010

Caros Columbófilos,

O Borracho, nascendo com 16 a 20 gramas de peso, aumenta 10 gramas por dia, durante os 3 primeiros dias de vida.

No 4.º e no 5.º dia esse aumento é de 20 gramas em cada um, sendo daí em diante, até ao 11.º dia, de 30 gramas por dia.

No 12.º dia aumenta 50 gramas, no 13.º dia, 40 gramas, começando então a diminuir de peso, 25 gramas no 14.º dia, 10 gramas no dia seguinte e 5 gramas por dia até ao 20.º dia. 

Sistema SIMPLIFICADO para competição! 17-02-2010

Caros Columbófilos,

Sistema simplificado para uma colónia que se encontre num estado SAUDÁVEL:

  • Chegada: Dextrose + Electólitos ou Mel + Electrólitos
  • Segunda: Aureomicina + Tilosina*
  • Terça: Probiótico + Alho + Gotas Nasais
  • Quarta: Ronidazol
  • Quinta: Complexo vitaminico, amino-ácido e mineral + Probiótico
  • Sexta: Complexo vitaminico, amino-ácido e mineral + Probiótico
  • Encestamento: Não servimos nada!

Sempre à disposição Grit, Bloco Salgado e Pó Mineral e não esquecer o Banho Semanal com Sal de Cozinha, ou Pó Talco, ou Vinagre, ou Betadine ou Leite.

Nota: de 3 em 3 semanas administrar Baycox numa toma unica de 4 ml por 1 litro de água de preferência na Terça-feira, na semana em que os pombos não fazem uma prova de Fundo.

* Fui informado que a Aureomicina foi retirada do mercado, neste caso pode ser substituida por Doxiciclina.

Alguns dados fisiológicos 17-02-2010

Caros Columbófilos,

Consumo de água de um pombo:

  • 30-60 ml em média por dia
  • 20-30 ml diários no Outono e Inverno
  • 30-40 ml diários na Primavera
  • 50-60 ml diários no Verão e durante o periodo de reprodução.

 

Quantidade de sangue:

  • Aproximadamente 8 ml em 100 gramas de peso corporal.

 

Temperatura média do corpo:

  • 41,8º Celsius

 

Necessidades de vitaminas diárias para um pombo de 500 gr:

  • Vitamina A ................. 200u
  • Vitamina D ................. 45u
  • Vitamina E ................. 1,0 mg
  • Vitamina C ................. 0,7 mg
  • Vitamina b1 ................ 0,1 mg
  • Vitamina b2 ................ 0,12 mg
  • Vitamina b6 ................ 0,12 mg
  • Vitamina b12 .............. 0,24 mcg
  • Nicotina Amida ............ 1,2 mg
  • Biotina ....................... 0,002 mg
  • Vitamina b15 ............... 0,36 mg
  • Ácido fólico ................. 0,014 mg

Necessidades de amino-ácidos diários para um pombo de 500 gr:

  • Metionina ............... 0,09 gr
  • Licina .................... 0,18 gr
  • Valina .................... 0,06 gr
  • Leucina .................. 0,09 gr
  • Isoleucina................ 0,055 gr
  • Fenilalanina ............. 0,09 gr
  • Triptofane .............. 0,02 gr
  • Metionina, um enigma! 15-02-2010

    Caros Columbófilos,

    O que é a metionina?

    A metionina é um aminoácido codificado pelo código genético e faz parte de TODAS as proteínas dos seres vivos.

    Decidi desenvolver este artigo para desvendar o “enigma” da metionina no organismo do pombo-correio.

    Ao contrário do que já li em diversos artigos, todos ficamos a saber o mesmo, pois todos dizem o mesmo, ou seja “… a metionina é um aminoácido fundamental para a produção de ovos e crescimento dos borrachos…”, “… vamos dar produtos com metionina na muda que as penas crescem melhor e ficam brilhantes…”, ou a minha de eleição “… vamos dar metionina aos pombos que desintoxica o fígado…”.

    Tendo conhecimento, considero e até aceito, mas por outro, as pessoas ficam a saber o mesmo, e constantemente se questionam: “… mas como é que funciona a metionina? ”

    Resumo geral: A metionina NÃO faz nada do que foi acima referido ou seja:

    ·         Não faz crescer a penas;

    ·         Não faz com que os borrachos cresçam mais fortes;

    ·         Não faz com que os ovos sejam produzidos melhor ou pior;

    ·         Não desintoxica o fígado;

    ·         Etc…

    O principal responsável por todos estes processos são as Proteínas.

    As proteínas são macromoléculas de elevada massa molecular, constituídas por uma ou mais cadeias polipeptídicas, ou seja, por cadeias de aminoácidos, tendo as proteínas várias funções:

    ·         Função estrutural (fazem parte da estrutura de todos os constituintes celulares);

    ·         Função enzimática (actuam como biocatalizadores de quase todas as reacções químicas que ocorrem no pombo);

    ·         Função de transporte celular;

    ·         Função hormonal;

    ·         Função imunológica (por exemplo: desintoxicação hepática);

    ·         Função motora (são os componentes maioritários dos músculos);

    ·         Função de reserva alimentar.

    As proteínas são sintetizadas no interior das células e tem duas fases: transcrição e tradução.

    A transcrição e a tradução são dois processos muito complexos que não os vou estar aqui a desenvolver agora, pois nunca mais acabava e no final, vocês columbófilos, ficariam mais baralhados ainda, mas vou trocar por miúdos.

    A síntese de proteínas ocorre nos ribossomas que se encontram na célula.

    A sequência do DNA contém a informação sob a forma do código genético (código de correspondência entre o DNA e os aminoácidos). Cada tripleto (unidade mais pequena de mensagem genética é constituída por três nucleótidos) de DNA chama-se codogene.

    Cada tripleto é um codão que pode codificar um aminoácido ou ordenar o início ou o fim da síntese. Antes do mRNA forma-se o RNA pré-mensageiro ao qual são retirados os intrões (sequências que não codificam) e unem-se os exões (sequências que codificam).

    A fase de ligação de aminoácidos só é iniciada quando a METIONINA é a primeira sequencia que codifica.

    Resumindo, a METIONINA, no organismo do pombo, é só o primeiro aminoácido ou codão de iniciação da cadeia de aminoácidos que originam uma proteína, seja ela com as características que tiver, como foi acima mencionado. A sua função é só dar continuidade à síntese proteica e originar a nova proteína!

    A metionina está presente em todas as sementes, Cereais, Leguminosas e Oleaginosas, o que faz com que a sua suplementação (produtos ricos em metionina) não vai, de certeza, acelerar o processo de Síntese Proteica, só o prejudica.

    Vejo assim desnecessária a utilização da suplementação, pois com uma alimentação equilibrada, limpa e de qualidade obtém-se a metionina necessária para todo o processo proteico.

     

    “…O mercado columbófilo além de ultra oneroso ainda é muito permissivo neste domínio…” Dr. Rogério Pernes Mota

     

    Espero desta forma ter esclarecido esta dúvida presente em grande parte dos columbófilos!

    Qualquer duvida basta entrar em contacto.